icons.title signature.placeholder Carlos Antunes e Jonas Moura
13/02/2015
15:40

Rafael Nadal está com calor. Prestes a iniciar a busca pelo bicampeonato do Aberto do Rio, que começa nesta segunda-feira e vai até domingo, o espanhol, número três do ranking da ATP, até mostra que o Rio de Janeiro já é uma "casa", exceto pelas altas temperaturas. Após uma sessão de treinos pela manhã na capital carioca, ele não escondeu da imprensa que terá que se virar para alcançar o objetivo.

- O calor que será meio complicado. As condições são extremas, a temperatura não vai ser fácil. Vou tentar sobreviver da maneira que puder. O piso estará um pouco mais rápido, e as condições de velocidade, um pouco complicadas - admitiu o atleta, que, assim como os cariocas, pode enfrentar sensação térmica de até 47 graus nesta tarde. 

Nadal não joga uma partida oficial desde o dia 27 de janeiro, quando foi eliminado pelo tcheco Tomas Berdych nas quartas de final do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada. Agora, a expectativa é em cima de uma final contra David Ferrer, número 9 na ATP. Mas o tenista até se mostrou incomodado ao ser abordado sobre um possível encontro com o compatriota.

- Será um desafio para mim, ele é um grande oponente, mas não penso na final. Penso na primeira rodada. Não sei se estou preparado para ganhar aqui ou não. Nunca começo um torneio pensando na final. Espero ter boas chances. Me sinto bem fisicamente. Vamos ver o que vai acontecer - disse o espanhol, de 28 anos.

Sua estreia no Rio de Janeiro será na terça-feira, contra adversário a ser definido no sorteio das chaves deste sábado. A disputa pelo título contará com outros nomes de expressão da modalidade, como os espanhóis Tommy Robredo (17º) e Nicolás Almagro (82º) e italiano Fabio Fognini (26º).

No feminino, a italiana Sara Errani (13ª da WTA), vice-campeã de Roland Garros em 2012, e sua conterrânea Roberta Vinci (40ª) são os destaques.