icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/11/2013
18:30

Cinco empresas aéreas viraram alvo de uma ação do Procon-RJ por causa da comercialização de passagens para o período da Copa do Mundo de 2014 com preços considerados abusivos.

O valor cobrado por Azul, Gol, Oceanair, Avianca e TAM é mais de 1000 % maior do que o praticado pelo mercado em dias normais. A ponte aéria Rio-São Paulo, é um dos trechos mais procurados e um dos mais afetados pelo aumento.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) também se complicou com o Procon. O órgão é o responsável por regular o setor e deveria coibir a prática indevida das empresas.

O processo exige mais pulso da Anac, aplicando multa às companhias aéreas que praticam preços exorbitantes. O Procon pleiteia que, em caso de descumprimento por parte da agência, seja estipulada multa de R$ 50 mil por omissão de atuação.

Em relação às companhias, o Procon quer que elas pratiquem o preço adotado nos dias normais do ano, além do ressarcimento em dobro aos consumidores que já compraram as passagens com aumento, como forma de compensação aos danos materiais.