icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
13/06/2014
00:31

Foi um sucesso o primeiro dia da Fan Fest de Manaus, no bairro da Ponta Negra. A previsão mais otimista das autoridades era a de que 35 mil pessoas acompanhariam o jogo do Brasil com a Croácia. Os bombeiros avaliaram que 33 mil estiveram presentes.

O amplo espaço, a facilidade de duas grandes entradas e um número muito grande de policiais garantiam a tranquilidade momentos antes do início do jogo. Um animador pedia para o pessoal bater palmas e não parava de lembrar que depois da partida iria ocorrer  o show do cantor sertanejo Israel Novaes.

Os espaços dos patrocinadores eram disputados, principalmente um que disponibilizou jogos de video-games. Antes do jogo a reclamação era com os preços.

- Uma água por R$ 5 é um exagero - reclamava Dona Claudia, que curiosamente estava com um copo de cerveja (R$ 8) na mão.

Como a Ponta Negra tem uma área para skate e também uma praia artificial, os torcedores se misturavam com os apreciadores de esportes radicais e moças com biquinis sumários que chamavam atenção.

No espaço democrático, vários grupos evangélicos que queriam acompanhar o jogo no telão se misturava com um travestis (muitos).

Havia, claro, turistas. Muitos ingleses, boa presença de colombianos e venezuelanos.

- Colômbia, Colômbia, gritava um deles, bem chato por sinal, já que agarrava qualquer um e ficava pulando ao seu lado.

O público foi se juntando na área do anfiteatro. Logo lotou. Os demais espaços do entorno  foram enchendo. Quando restavam dez minutos para o início da partida, tudo tomado.

- Este telão é sensacional - dizia Paula, uma morena de longos cabelos lisos e muito tímida. Estava ao lado da mãe. E encantada com a tela de 50 metros e imagem excepcional. - Não dá para perder um jogo aqui. Vejo num telão e ainda tem show depois - concluiu.


Multidão assiste a vitória da Seleção Brasileira sobre a Croácia na Fan Festa (Foto: Carlos Vieira)

Os dois camarotes (de uma rede de TV e da prefeitura) não estavam cheios. E quando as seleções já estavam em campo o prefeito Arthur Virgílio Neto apareceu, com uma camisa do Brasil e tirando fotos de todos os tipos (beijando criança, abraçando idosos) com seus eleitores.

- Acho que o Brasil ganha por 3 a 1 - profetizou o prefeito.

O jogo começou e deu para perceber que o torcedor amazonense  não é muito agitado. Canta o hino com parcimônia, acompanha de forma tensa, fazendo barulho só nos momentos de muito perigo. No gol croata, algumas reclamações. Explosão só no gol de empate de Neymar.

E são irônicos. O pênalti mandrake fez Juan soltar:

- Caramba, que roubo - disse.

- Roubado é mais gostoso - gritou alguém mais atrás.

Neymar foi muito aplaudido ao sair, mas festejo mesmo só aos 44 da etapa final, quando todos fizeram uma linda evolução levantando as mãos.

Fim de jogo e um barco que estava afastado, no Rio Negro, começou a soltar fogos. Mais palmas.

Restava a saída. Aí veio um problema. Mesmo entupido de policiais haviam muitos batedores de carteira, aliás, batedoras. A reportagem do LANCE!  percebeu a ação de três mulheres  em pontos diferentes. E muitos comentavam que isso era comum.

Muitos deixaram o local cinco minutos após o apito do juiz. Mas outros tantos entravam na fan fest. Chegavam só para o show. Um público diferente, muito mais meninas. Já o pessoal do futebol, pegando o rumo de casa, teve uma outra maratona. Aguardar os pouquíssimos ônibus. Como automóvel não entra na regão da fan Fest este acabou se tornando um grande problema. Para a próxima fan fest este é o ponto a ser avaliado.