icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/04/2014
10:00

Ausente do Brasil desde a temporada 2007, quando deixou o próprio Atlético-MG, Levir Culpi retorna ao time mineiro com alguns desafios a mais que em sua última passagem. O maior deles é manter a equipe no topo da América, o que significa vencer a Copa Libertadores mais uma vez. O resgate do bom futebol e a consequente boa fase dos ídolos também são outros obstáculos. Após tanto tempo no Japão, no entanto, o treinador reconheceu não ter acompanhado com frequência como andou o futebol brasileiro nos anos anteriores.

- Não tenho acompanhado assim todos os jogos, inclusive vou observar alguns vídeos, já falei com o Ceolim (Alexandre, auxiliar de tecnologia esportiva) e vou observar detalhes, mas uma coisa enfgraçada no futebol é que de vez em quando você observa uma coisa e na prática é outra, e no dia a dia que vou poder controlar essa situação - falou o treinador.

MAIS:
> Kalil sobre Levir: 'fiz o que podia, se der errado, tentei'
> Em Porto Alegre, Levir Culpi é apresentado aos jogadores do Galo

A contratação já com a temporada em andamento dificulta ainda um pouco mais a vida de Levir, que não poderá trabalhar a fundo o time mineiro, já que a equipe possui um calendário cheio e sem muito tempo para preparação.

- O que mais me preocupa é não ter tempo para treinar a equipe no campo, não dá prazo suficiente para fazer um trabalho tático mais forçado, por isso vou tentar conversar algumas coisas, impor nos treinamentos, mas basicamente e o racional é dar uma sequência no time que já é muito bom - completou o treinador.