icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/03/2014
19:07

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, negou que haja atraso no pagamento de salário e da premiação pela conquista do tricampeonato brasileiro do ano passado. Ele disse que tudo não passa de boatos criados para desestabilizar o time nos momentos de decisão no Campeonato Mineiro e na Libertadores.

- Eu não sei porque que isso surgiu. Salário atrasado como? Os jogadores receberam o mês de fevereiro na segunda semana de março. Não foi no começo do mês por causa do carnaval, quando o banco não funciona. Isso não é atraso de salário - explicou Gilvan em entrevista no lançamento do Campeonato Mundial de Vôlei, no Mineirinho.

- Sobre premiação, nenhum atleta reclamou. Foi combinado que não pagaríamos em dezembro, quando as finanças ficam comprometidas pelos encargos trabalhistas. Foi combinado que começaríamos pagar os prêmios no começo de abril e vai ser cumprido. Os bichos foram pagos nos meses dos jogos, quando fizeram juz por isso - completou o presidente.

O próximo compromisso do Cruzeiro dentro de campo é pelo Campeonato Mineiro. No domingo a Raposa volta a enfrentar o Boa Esporte na segunda semifinal do Estadual. Como venceu a partida de ida por 1 a 0, pode até perder que avança para a final.

Pela Libertadores o time celeste volta a campo só na quarta-feira da próxima semana. O árduo compromisso é contra a Universidad de Chile (CHI), na casa do adversário. O Cruzeiro tem quatro pontos e ocupa o terceiro lugar do Grupo 5. Para ter chance de classificação, a Raposa precisa vencer e torcer para um tropeço do Defensor (URU), que tem sete pontos e ocupa a vice-liderança do Grupo.