icons.title signature.placeholder Marcio Porto
25/11/2013
20:55

O presidente afastado do Santos,  Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, o Laor, fez na noite desta segunda-feira sua primeira aparição pública desde que licenciou-se por um ano do cargo. O dirigente, cujo posto está sendo ocupado interinamente por Odílio Rodrigues, participa da festa promovida pela CBF para os mandatários dos 20 clubes da Série A e os 27 das federações estaduais - todos aqueles que votam na eleição para o comando da entidade máxima do futebol brasileiro, que acontecerá no primeiro semestre de 2014. O evento acontece em hotel de alto luxo paulistano próximo ao Parque do Ibirapuera. 

Luis Álvaro padece com problemas de saúde desde 2010 e afastou-se oficialmente no último dia 15 de agosto para dedicar-se ao tratamento. Sua saída coincidiu com um momento turbulento do clube,  logo depois que o Santos sofreu goleada por 8 a 0 para o Barcelona, em partida amistosa disputada na Espanha, e membro da oposição articulavam um pedido de impeachment do dirigente. 

Na saída da festa, Laor conversou com a reportagem do LANCE!Net e avisou não ter certeza que voltará ao cargo após o fim da licença (seu mandato vai até o fim de 2014). Segundo o dirigente, a prioridade é mesmo cuidar da saúde. 

- Eu não estava cuidando de mim, esqueci de cuidar de mim. E por isso tive que sair. Não sei (voltar a presidência). Vai depender da minha saúde. Tenho mais um ano para pensar, mas não vou colocar nada à frente da minha saúde - declarou o dirigente,

Laor afirmou apoiar a candidatura de Marco Polo à presidência da CBF, porém disse que não fala em nome do Santos. 

Em entrevista recente à Rádio Bandeirantes, Odílio, presidente em exercício, declarou que Laor vem sofrendo de um quadro depressão. Quando anunciou o afastamento, ele cumpria seu segundo mandato à frente do Santos. No primeiro, o clube conquistou títulos importantes, em especial o da Copa do Brasil de 2010 e a Copa Libertadores de 2011, taça que o Peixe não levantava desde os anos 60, com Pelé.