icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/02/2015
15:06

A prefeitura de Lisboa tomou nesta semana uma decisão que já está causando polêmica na capital portuguesa. A Câmara Municipal aprovou o perdão de uma dívida de 1,8 milhão de euros (R$ 5 milhões) do Benfica. O valor era referente ao pagamento de taxas urbanísticas em obras nos arredores do Estádio da Luz, a casa do Encarnado.

O pedido estava pendente desde abril do ano passado. Na ocasião, a Benfica Estádio pediu a alteração da licença e solicitou a isenção das taxas, como já tinha acontecido no loteamento inicial sob o protocolo entre as duas partes.

- No presente momento os lisboetas e os portugueses não compreendem que se isente o pagamento de taxas para atividades que não são de interesse público e que não têm a ver com a vocação da instituição - disse o vereador António Prôa à Lusa, que foi complementado pelo seu colega João Gonçalves Pereira:

- Não faz sentido. Quando se trata de atividades que são comerciais isso não deve acontecer.

As obras em questão são referentes ao aumento da superfície de pavimento em quase 40 mil metros quadrados, sendo a maioria para o equipamento esportivo, e o restante para fins comerciais.

Por causa da demora na definição do perdão da dívida, algumas instalações acabaram entrando em funcionamente ilegalmente. Este pedido inclui ainda estruturas como um equipamento esportivo, um vestiário, duas bilheterias, um ginásio, piscinas e até o museu, segundo o jornal "Público".