icons.title signature.placeholder Marcio Porto
icons.title signature.placeholder Marcio Porto
22/07/2013
17:35

O empate por 1 a 1 no jogo de ida não é o único obstáculo a ser superado pelo Santos na próxima quarta-feira, contra o Crac-GO, em Catalão, pela Copa do Brasil. Pressão, estádio acanhado e estrutura modesta esperam os comandados de Claudinei Oliveira na cidade do interior goiano.

Nesta segunda-feira, a reportagem do LANCE!Net visitou o estádio Genervino da Fonseca, local do embate, válido pela terceira fase da Copa do Brasil, e registrou os preparativos para a partida. Muitas obras ainda são realizadas no entorno do palco, bem como no vestiário visitante. O lugar onde os santistas ficarão chama atenção pelo pouco espaço e a falta de estrutura. Homens trabalham no local para promover melhorias até quarta-feira.

Túnel que dá acesso do vestiário ao campo (Foto: Marcio Porto)

São apenas cinco chuveiros para os jogadores, dois vasos sanitários e duas pias, em um espaço de cerca de 50 metros quadrados. Quando o LANCE!Net esteve no local, havia três mesas empoeiradas e resto de materiais de construção.

O gramado, acanhado, também passa por ajustes. No geral, reúne boas condições, exceção às pequenas áreas, onde há muito barro e a grama falha.

O campo fica muito próximo das arquibancadas, o que deve proporcionar muita pressão aos santistas. Das poltronas para o gramado, são apenas cinco metros de distância. Um alambrado separa os torcedores de onde os jogadores vão se enfrentar.

Vestiário onde ficará o Peixe na quarta-feira (Foto: Marcio Porto)

O estádio do Crac-GO tem capacidade para oito mil e trezentas pessoas, e sete mil e trezentos ingressos serão colocados à venda. A comercialização começará a partir desta terça-feira, às 13h, nas bilheterias do estádio.

Por outro lado, funcionários do clube goiano reclamam que, no jogo de ida, enfrentaram forte cheiro de tinta no vestiário da Vila Belmiro, reformado recentemente. Também dizem que há pouco incentivo da prefeitura local e, principalmente da CBF, que tem posição de abandono com os clubes menores.

Com 1 a 1 do primeiro jogo, a equipe da casa precisa apenas empatar por 0 a 0 para conseguir a classificação. O Peixe precisa vencer ou empatar por 2 a 2 ou mais. Se o 1 a 1 for repetido, a decisão será nos pênaltis. O embate começa às 21h50.

Estádio passa por reformas para receber o Santos (Foto: Marcio Porto)

O empate por 1 a 1 no jogo de ida não é o único obstáculo a ser superado pelo Santos na próxima quarta-feira, contra o Crac-GO, em Catalão, pela Copa do Brasil. Pressão, estádio acanhado e estrutura modesta esperam os comandados de Claudinei Oliveira na cidade do interior goiano.

Nesta segunda-feira, a reportagem do LANCE!Net visitou o estádio Genervino da Fonseca, local do embate, válido pela terceira fase da Copa do Brasil, e registrou os preparativos para a partida. Muitas obras ainda são realizadas no entorno do palco, bem como no vestiário visitante. O lugar onde os santistas ficarão chama atenção pelo pouco espaço e a falta de estrutura. Homens trabalham no local para promover melhorias até quarta-feira.

Túnel que dá acesso do vestiário ao campo (Foto: Marcio Porto)

São apenas cinco chuveiros para os jogadores, dois vasos sanitários e duas pias, em um espaço de cerca de 50 metros quadrados. Quando o LANCE!Net esteve no local, havia três mesas empoeiradas e resto de materiais de construção.

O gramado, acanhado, também passa por ajustes. No geral, reúne boas condições, exceção às pequenas áreas, onde há muito barro e a grama falha.

O campo fica muito próximo das arquibancadas, o que deve proporcionar muita pressão aos santistas. Das poltronas para o gramado, são apenas cinco metros de distância. Um alambrado separa os torcedores de onde os jogadores vão se enfrentar.

Vestiário onde ficará o Peixe na quarta-feira (Foto: Marcio Porto)

O estádio do Crac-GO tem capacidade para oito mil e trezentas pessoas, e sete mil e trezentos ingressos serão colocados à venda. A comercialização começará a partir desta terça-feira, às 13h, nas bilheterias do estádio.

Por outro lado, funcionários do clube goiano reclamam que, no jogo de ida, enfrentaram forte cheiro de tinta no vestiário da Vila Belmiro, reformado recentemente. Também dizem que há pouco incentivo da prefeitura local e, principalmente da CBF, que tem posição de abandono com os clubes menores.

Com 1 a 1 do primeiro jogo, a equipe da casa precisa apenas empatar por 0 a 0 para conseguir a classificação. O Peixe precisa vencer ou empatar por 2 a 2 ou mais. Se o 1 a 1 for repetido, a decisão será nos pênaltis. O embate começa às 21h50.

Estádio passa por reformas para receber o Santos (Foto: Marcio Porto)