icons.title signature.placeholder Daniela Caravaggi
icons.title signature.placeholder Daniela Caravaggi
26/07/2013
20:00

A nadadora Poliana Okimoto desembacou na tarde desta sexta-feira no Aeroporto Internacional de Guarulhos, acompanhada de seu marido e técnico Ricardo Cintra. A atleta trouxe na bagagem três medalhas conquistadas no Mundial de Esportes Aquáticos, sendo uma de ouro (10km), uma de prata (5km) e uma de bronze (por equipes).

Perguntada sobre a conquista, Poliana parecia ainda não acreditar em seu desempenho na competição.

- Foi uma surpresa sair desse Mundial com três medalhas. Nem nos meus maiores sonhos eu imaginava que eu pudesse voltar tão vitoriosa. Eu tinha um objetivo muito grande nos 10km, queria entrar no pódio novamente, mas pensar em ganhar é outra coisa. Na maratona aquática  tem que ver no dia da prova quem vai estar bem, quem vai conseguir bater bem na placa e eu me senti muito bem durante a prova. Fiz uma ótima prova e a medalha de ouro nos 10km foi com certeza minha consagração - disse a atleta.

A atleta ressaltou também a importância de suas conquistas no Mundial para este início de ciclo olímpico, que tem seu fim em 2016, no Rio de Janeiro.

- Comecei esse ciclo com o pé direito, né? E acho que isso está sendo muito bom pra mim, voltando a dar confiança no meu trabalho, na minha natação e isso é muito importante para eu voltar para os meus treinamentos, para os meus objetivos, para a Olimpíada - afirmou.

A nadadora confessou ainda que pensou em parar de nadar após as Olimpíadas de Londres, na qual era a favorita na maratona aquática, mas precisou abandonar a prova de cadeira de rodas por conta de uma hipotermia.

- Deu vontade porque eu me dediquei muito, mudei de casa, fui para o Rio, fiz tudo o que eu tinha que fazer e sair da prova não era uma opção pra mim, mas tive que sair pensando na minha saúde. Então, foi uma decepção muito grande - finalizou.



A nadadora Poliana Okimoto desembacou na tarde desta sexta-feira no Aeroporto Internacional de Guarulhos, acompanhada de seu marido e técnico Ricardo Cintra. A atleta trouxe na bagagem três medalhas conquistadas no Mundial de Esportes Aquáticos, sendo uma de ouro (10km), uma de prata (5km) e uma de bronze (por equipes).

Perguntada sobre a conquista, Poliana parecia ainda não acreditar em seu desempenho na competição.

- Foi uma surpresa sair desse Mundial com três medalhas. Nem nos meus maiores sonhos eu imaginava que eu pudesse voltar tão vitoriosa. Eu tinha um objetivo muito grande nos 10km, queria entrar no pódio novamente, mas pensar em ganhar é outra coisa. Na maratona aquática  tem que ver no dia da prova quem vai estar bem, quem vai conseguir bater bem na placa e eu me senti muito bem durante a prova. Fiz uma ótima prova e a medalha de ouro nos 10km foi com certeza minha consagração - disse a atleta.

A atleta ressaltou também a importância de suas conquistas no Mundial para este início de ciclo olímpico, que tem seu fim em 2016, no Rio de Janeiro.

- Comecei esse ciclo com o pé direito, né? E acho que isso está sendo muito bom pra mim, voltando a dar confiança no meu trabalho, na minha natação e isso é muito importante para eu voltar para os meus treinamentos, para os meus objetivos, para a Olimpíada - afirmou.

A nadadora confessou ainda que pensou em parar de nadar após as Olimpíadas de Londres, na qual era a favorita na maratona aquática, mas precisou abandonar a prova de cadeira de rodas por conta de uma hipotermia.

- Deu vontade porque eu me dediquei muito, mudei de casa, fui para o Rio, fiz tudo o que eu tinha que fazer e sair da prova não era uma opção pra mim, mas tive que sair pensando na minha saúde. Então, foi uma decepção muito grande - finalizou.