icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/06/2014
10:49

Em entrevista ao diário francês "L'Équipe", o presidente da Uefa, Michel Platini, defendeu a realização da Copa do Mundo de 2022 no Qatar. Porém o dirigente disse que uma nova escolha de sede deveria ocorrer, caso sejam comprovadas as denúncias de suborno na eleição da escolha do país árabe para receber o evento.

- Acredito que foi uma decisão acertada da Fifa e para o mundo do futebol. Porém se a corrupção for comprovada, deverá haver uma nova eleição - disse Platini.

O presidente da confederação europeia reclamou ainda do fato de estar sendo colocado como um dos participantes do esquema.

- Sou transparente. Sempre disse em quem votei e me encontro como suspeito de corrupção. Vamos parar com essas bobagens - afirmou.

O dirigente francês sempre reconheceu que votou a favor do Qatar. As suspeitas de que Platini teria participado do esquema de suborno se deve à reunião que manteve, pouco antes da votação, com Mohammed Bin Hammam, o ex-candidato à presidência da Fifa e ex-presidente da Confederação Asiática, que foi banido do futebol por causa do escândalo de compra de votos a favor da candidatura qatariana.

- Só porque tomei café da manhã com um colega me vejo envolvido em um assunto de Estado, e em uma trama que está totalmente construída não sei por quem ou para quê. Não sou corrupto. Não busco fazer mal a ninguém. Não sei quem está por trás disso - completou Platini.

O presidente da Uefa também negou que tenha recebido um pedido do ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy para votar a favor do Qatar.