icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
08/04/2014
08:03

Alan Kardec ainda estava no time B do Benfica (POR) quando traçou o plano de carreira que hoje o motiva a dar prioridade total ao Palmeiras na negociação de renovação contratual, mesmo que isso signifique ganhar menos dinheiro do que poderia aos 25 anos de idade e no melhor momento da carreira.

Em julho de 2013, o atacante foi procurado por clubes de Série A, como Internacional, Botafogo e Coritiba, mas preferiu jogar a Segundona para se firmar com mais rapidez. Só exigiu que os vencimentos fossem iguais aos que tinha em Portugal: cerca de 50 mil euros (R$ 152 mil na conversão atual, um pouco menos na época da assinatura).

Agora, apesar de seus representantes aguardarem contatos de clubes europeus, quer ficar por acreditar que tem chances de ser convocado para a Seleção Brasileira após a Copa do Mundo, o que o aproximaria de outro sonho: proposta do Arsenal (ING). Hoje, ser procurado pelo clube que mais admira no Velho Continente é improvável, já que o goleador não tem passaporte europeu.

Emprestado pelos portugueses até 30 de junho - mas com prazo até 31 de maio para que o Alviverde exerça sua prioridade de compra por 4 milhões de euros (cerca de R$ 12,5 mi) -, o camisa 14 já está convencido de que não será possível receber um salário semelhante aos de Fred no Fluminense e Luis Fabiano no São Paulo, jogadores da mesma posição e mais velhos.

Pessoas envolvidas na negociação com o Palmeiras dizem que o novo vínculo, válido por cinco anos, será fechado de acordo com o novo teto salarial imposto por Paulo Nobre, o que significa ganhos um pouco menores do que os de Wesley (cerca de R$ 350 mil) mesmo com os bônus por produtividade - o volante foi contratado por outra gestão.

O Verdão acertou a forma de pagamento com o Benfica e só precisa definir salários. Foram ao menos duas ofertas recusadas antes da investida que agradou, há uma semana. O clube não chegou ao valor solicitado, mas há muito otimismo.

OS PLANOS DO ARTILHEIRO

Adaptação
Etapa concluída. Em vez de ir para um clube de Série A brigar por posição, preferiu ser a referência de um Verdão que não tinha um centroavante confiável para a disputa da Série B. Como se sabe, rapidamente virou artilheiro do time e peça-chave.

Família
Alan Kardec vai se casar em breve e não está disposto a sair de São Paulo neste momento. Sua futura esposa planeja fazer uma faculdade na capital, o que também pesa para o desejo de permanecer no Verdão. O pai segue morando no Rio.

Seleção
Cotado para a última convocação de Felipão, Kardec admitiu a ansiedade, mas ficou fora. Apesar de dizer que ainda tem esperanças de ir à Copa, ele sabe que as chances aumentarão depois do Mundial. Manter o embalo no Verdão seria essencial.

Europa
Kardec não faz questão de voltar à Europa tão cedo, mas tem o sonho de defender o Arsenal (ING). Hoje, é inviável: para atuar na Premier League, é preciso ter passaporte europeu ou 75% de presença na seleção nacional nos dois anos anteriores. No futuro...