icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/04/2014
11:34

Após chorar nesta segunda-feira e pedir desculpas pelo assassinato de Reeva Steenkamp, o astro paralímpico Oscar Pistorius descreveu a cena do crime nesta terça. O sul-africano de 27 anos é acusado de atirar propositalmente na namorada que estava no banheiro de sua casa, mas se defende assegurando que a confundiu com um invasor.

A sustentação de sua prórpia versão, porém, foi acompanhada pelas lágrimas, tendo em vista que Pistorius chorou durante o argumento. No Tribunal de Pretória, na África do Sul, ele voltou a defender que confundiu Reeva com um intruso.

- Antes de perceber, eu atirei quatro vezes na porta - disse Pistorius, lembrando que atirou na porta do banheiro imaginando que um invasor estava lá.

Pistorius alegou que pensava que Reeva ainda estava na cama quando efetuou os disparos. Antes, ele disse que havia susurrado para ela chamar a polícia imediatamente após ouvir um barulho no banheiro. Logo depois, ele atirou contra a porta, pegou um taco de críquete, acertou a porta com ele e depois perceber que ela já estava aberta ao avistar a chave.

- Peguei a chave e fui abrir a porta, mas percebi que já estava aberta. Foi então que me sentei sobre Reeva e chorei. Não sei por quanto tempo, mas ela não estava respirando - acrescentou Pistorius, com a voz trêmula, confirmando que acertou os disparos, sem querer, na ex-namorada.

A porta com as marcas dos disparos já foi inclusive levada ao tribunal em outras etapas. O objetivo é determinar se Pistorius estava ou não com as próteses no momento dos disparos. O próprio Pistorius alega que atirou sem as próteses, por se sentir vulnerável, e que depois as colocou para verificar o banheiro.

Nesta terça-feira, o ex-atleta inclusive retirou as próteses no tribunal para descrever a cena.

O julgamenro será retomado nesta quarta-feira. A expectativa é que termine no meio do mês de maio. Se condenado, Pistorius pode receber prisão perpétua.