icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
02/07/2013
17:17

Dois dias após os incidentes com os pneus no GP da Inglaterra, em Silverstone, da Fórmula 1, a Pirelli soltou um comunicado com explicações sobre o ocorrido e prometeu mudanças para a prova na Alemanha, em Nurburgring, neste domingo. A fabricante também garantiu a fabricação de novos compostos para serem usados a partir do GP da Hungria, em Budapeste, no dia 28 de julho.

Para a disputa do corrida alemã, a Pirelli resolveu reforçar os pneus com uma liga de Kevlar (é um material resistente, feito com plástico de garrafas PET e teias de aranha, usado para confeccionar roupas à prova de bala). Os compostos desse tipo já tinham sido testados durante os treinos livres do GP do Canadá, no último dia 7.

Já a partir do GP da Hungria a fabricante vai criar novos pneus. A ideia é ter a mesma resistência da temporada passada, mas sem perder o desempenho encontrado neste ano.

A Pirelli ainda fez questão de explicar os motivos dos problemas ocorridos na última corrida. Durante o GP da Inglaterra, o pneu traseiro esquerdo de quatro pilotos estourou durante a prova. Os corredores até ameaçaram fazer um boicote caso não fosse encontrada uma solução para o caso.

A fabricante apontou quatro problemas: os pneus traseiros montados no sentido errado, baixa pressão dos pneus, cambagem extrema e zebra alta em algumas curvas do circuito.

Dois dias após os incidentes com os pneus no GP da Inglaterra, em Silverstone, da Fórmula 1, a Pirelli soltou um comunicado com explicações sobre o ocorrido e prometeu mudanças para a prova na Alemanha, em Nurburgring, neste domingo. A fabricante também garantiu a fabricação de novos compostos para serem usados a partir do GP da Hungria, em Budapeste, no dia 28 de julho.

Para a disputa do corrida alemã, a Pirelli resolveu reforçar os pneus com uma liga de Kevlar (é um material resistente, feito com plástico de garrafas PET e teias de aranha, usado para confeccionar roupas à prova de bala). Os compostos desse tipo já tinham sido testados durante os treinos livres do GP do Canadá, no último dia 7.

Já a partir do GP da Hungria a fabricante vai criar novos pneus. A ideia é ter a mesma resistência da temporada passada, mas sem perder o desempenho encontrado neste ano.

A Pirelli ainda fez questão de explicar os motivos dos problemas ocorridos na última corrida. Durante o GP da Inglaterra, o pneu traseiro esquerdo de quatro pilotos estourou durante a prova. Os corredores até ameaçaram fazer um boicote caso não fosse encontrada uma solução para o caso.

A fabricante apontou quatro problemas: os pneus traseiros montados no sentido errado, baixa pressão dos pneus, cambagem extrema e zebra alta em algumas curvas do circuito.