icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/03/2014
17:07

Um dos clubes a romper com o atual presidente da Ferj, Rubens Lopes, antes da eleição que culminou na reeleição de Rubinho para mais três anos a frente da Federação, o Fluminense se manifestou através do presidente Peter Siemsen após o resultado da eleição. O mandatário tricolor reiterou a situação de posição, mas se pôs a disposição para conversar com Rubens Lopes visando achar um denominador comum entre a proposta de Fluminense, Flamengo e Vasco, e o que a Federação não abre mão.

- Cada um tem suas demandas internas, suas dificuldades. Sabemos que os clubes estão em processo de reestruturação. Então, é difícil também se envolver com questões da Federação. Nós sentimos que, no meu caso nesses três anos, realmente algumas demandas não são resolvidas há algum tempo. Agora teremos o desafio que é a fase dois. Voltar a sentar e começar a trabalhar em vista de propor soluções e acompanhar o desenvolvimento da gestão. A gente só vai saber se nossa posição se justifica, porque a gente precisava dessa mudança de posicionamento, e que a gente gostaria de ter sucesso nesse trabalho das mudanças durante esse próximo mandato do presidente da Federação - disse Peter.

O presidente do Fluminense aproveitou, também, para falar sobre a polêmica no valor dos ingressos que dominou os noticiários antes do último Fla-Flu, vencido pelo Fluminense por 3 a 0. Atualmente aliados na questão de rever a posição dos clubes com a Federação, os clubes trocaram farpas de forma pública, inclusive relembrando os casos no STJD, após a escalação de jogadores irregulares.

- O Fluminense vem atuando sempre com o preço limite mais baixo da decisão do arbitral. Com relação ao Fla-Flu, já falei aos dirigentes do Flamengo da insatisfação em relação ao nosso torcedor. Aproveitando, já que foi uma decisão rápida em se posicionar contra a Federação, foi de citar esse problema dos ingressos. Não vou dar facilidade ao torcedor do outro time. Aproveitei e coloquei o assunto em pauta, considerando que teremos Fla-Flus pelo menos no Brasileiro - esclareceu.