icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Matheus Babo
02/04/2014
12:14

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, veio a público nesta quarta-feira para esclarecer os motivos escolhidos para demitir o técnico Renato Gaúcho. O mandatário tricolor falou sobre a demissão, não quis revelar nomes para assumir o cargo e explicou que a relação com a Unimed é boa.

- Estamos mais uma vez juntos. Acho que é uma coletiva bastante simples. Viemos informar a mudança no comando técnico do futebol. Já foi anunciado formalmente. Acho que é uma coisa que acontece no futebol, faz parte - explicou.

O presidente culpou os resultados e ressaltou que o motivo da decisão foi o tempo necessário para preparar a equipe para Campeonato Brasileiro.

- Nenhum de nós, dirigentes, torcedores, atletas, ninguém estava satisfeito com os resultados. Sabemos que hoje temos grandes jogadores que poderiam estar em várias seleções e formam um elenco, e sabemos que o clube precisa dar um equilíbrio maior ao time. Eu e o Ricardo (Tenório) decidimos que o novo treinador precisa de tempo para preparar a equipe para o início do Campeonato Brasileiro.

Sobre a relação com a Unimed-Rio, patrocinadora do clube, o presidente manteve a linha de que sempre há um consentimento e que a decisão em demitir o técnico Renato Gaúcho foi de responsabilidade dele.

- O patrocinador deixou claro que era um ano de poucos investimentos, entendemos o recado, estive com o Celso nesta terça-feira, e a decisão foi tomada após toda a conversa. Assumo a responsabilidade. O patrocinador tem a opinião dele, entendo e respeitei. Nessa linha, o Fluminense vai custear o novo treinador, considerando o que foi dito pelo patrocinador, e vamos trabalhar com o melhor custo-benefício possível. Temos condições de ter um bom técnico.

Esta foi a quinta passagem de Renato como técnico pelo Tricolor. Foram 18 jogos, nove vitórias, cinco empates e quatro derrotas. Somando todas as passagens, o treinador comandou o time em 202 oportunidades, com 87 vitórias, 52 empates e 63 derrotas.

CONFIRA A ENTREVISTA COLETIVA NA ÍNTEGRA:

Demissão antes do Horizonte
Não vou nem entrar nesta questão, porque o jogo é dia 10. Vamos ter alguns dias para trabalhar e entedemos que o time não está rendendo o que precisa render. Será um jogo complicado e estamos focados no Brasileiro, que é duríssimo, difícil. Como vai ter parada para Copa, o colendário fica muito apertado e não posso me preocupar somente com o jogo do Horizonte e deixar de lado o Brasileiro. Entendemos que mesmo com esse jogo, o desempenho do time não estava em condições de começar o Brasileiro da forma que está hoje. Vamos preparar para esse jogo, mas o mais importante é para o Brasileiro.

Quando tomada a decisão e consenso com Celso
O patrocinador deixou claro que era um ano de poucos investimentos, entendemos o recado. Estive com o Celso nesta terça-feira, e a decisão foi tomada após toda a conversa. Assumo a responsabilidade. O patrocinador tem a opinião dele, entendo e respeitei. Nessa linha, o Fluminense vai custear o novo treinador, considerando o que foi dito pelo patrocinador, e vamos trabalhar com o melhor custo-benefício possível. Temos condições de ter um bom técnico.

Sobre o Renato
O Renato é um cara espetacular e dói, porque é um ídolo, mas tenho que olhar a situação do clube e do Fluminense. Juntamente com o Ricardo Tenório vimos que o trabalho não estava alcançando o resultado que queríamos. Entendemos que valia a pena a mudança no momento, já que temos um bom período de treinamento.


Renato Gaúcho foi elogiado por Peter, mas não resistiu no cargo (Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press)

Efetivar o Marcão
Não pensamos nisso ainda, porque o Marcão passou a integrar a comissão recentemente e o trabalho é muito importante. Ele tem um potencial grande e vamos acompanhar o trabalho dele ao longo do tempo. Seria complicado dar a ela essa responsabilidade enorme. Acredito que hoje ou amanhã estaremos apresentando o novo nome.

Nomes
São questões tratadas em sigilo e não podemos falar muita coisa.

Críticas da FluSocio
A FluSocio é composta de torcedores como eu, que em momentos de desempenho que não sejam os esperados, torna o ambiente mais tenso, porque é uma tensão que vem da própria arquibancada. Parte das críticas eu assumo e concordo, outras nem tanto, porque como estou dentro, sei que nem tudo é daquela forma. Passei um período duro. Estou em contato diário com parte dos grupos do Fluminense. Conto com eles e não vejo ruptura nenhuma. A questão tributária atrapalhou muito o Fluminense e o momento desportivo cirou um ambiente complicado. Estamos trabalhando forte para retomar a fase de crescimento. Estou animado, empolgado e envolvido nisso.

Perfil
Não traçamos um perfil. Identificamos técnicos que poderiam ser opções. Depois de tomar a decisão de que não ficaríamos com o Renato, vimos o que era possível no mercado. Não pré-determinamos o limite, mas estamos trabalhando com pessoas que acreditamos que possa ajudar o elenco.

Rubinho
Não respondo este tipo de comportamento. Minha resposta foi clara, já tinha tomado a decisão que não iria votar para mostrar que não estou de acordo com algumas questões que estão sendo decididas pela Federação. Minha posição foi simples, não entro nesse tipo de discussão.

Redução do investimento
A falta de comando vai ficar restrita em no máximo dois dias, eu acho. É uma transição. A falta de investimento entendemos, pode acontecer. Os atletas que já são do projeto da parceria é de muito bom nível e temos que encontrar jogadores que não tenham esse reconhecimento no mercado e que possa se integrar no elenco. Precisamos de equilíbrio. Tem posições com jogadores de qualidade e outros que não se firmaram, por isso que trabalho com essa palavra equilíbrio. Estamos discutindo a possibilidade de jogadores mais baratos, com bagagem, mas há diversas fórmula para trazê-los.

Diretor de futebol
Continuamos trabalhando com a hipótese de ter alguém, mas não é urgente. O projeto conjunto é discutido, Às vezes é voto vencido, outras não. A parceria teve momentos vencedores e difíceis. Cabe a nós usar os erros como aprendizado. Dentro dessa linha de acompnhamento dentro do clube, eu e Ricardo entendemos que esses dias são preciosos para uma nova preparação. Você perder uma semifinal para Vasco é normal, o que não está sendo normal é o desempenho da equipe, jogo a jogo. Realmente está faltando, acho que ninguém está satisfeito em termos de resultado e placar. Volto a dizer se a decisão fosse esperar o Brasileiro, seria pior.


Peter Siemsen trabalha diretamente com Ricardo Tenório no Flu (Foto: Wagner Meier/ LANCE!Press)

Novo técnico
Gosto de trabalhar com as mesmas pessoas. A ideia inicial era manter o Abel, por exemplo, por um grande tempo e não deu certo. Acredito no trabalho do treinador que conheça o clube.

Heverton
Vou falar sobre isso. Vi poucar partidas dele, bom jogador, ruim para o futebol. O Fluminense também enfrentou o problema dele, torcemos para que tenha sorte.

Parceria
Temos um contrato de dois anos, sempre com cláusula de sair ao fim do ano, mas da minha parte a luta vai ser para caminhar. Minha luta é para que tudo dê certo. Espero que decisão que estamos tomando dê resultado e ajude a todos.