icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/07/2013
18:00

O goleiro e capitão são-paulino Rogério Ceni com certeza gostaria que sua provável última temporada da carreira fosse menos melancólica. Eliminado com o Tricolor do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores, o camisa 01, que deve se aposentar no fim do ano, ainda viu Renato Augusto o encobrir e deixar o rival Corinthians com uma mão na taça da Recopa, diminuindo suas chances e as do clube do Morumbi de conquistar um título internacional na temporada - há ainda a Sul-Americana no fim do ano.

Por outro lado, apesar das frustrações e de algumas falhas, como a desta quarta-feira diante do time do Parque São Jorge, a temporada de Ceni também já presenteou os torcedores com bons momentos, como gols importantes e defesas que fazem e sempre farão os são-paulinos evocarem os gritos de "Mito". L!Net lista altos e baixos do goleiro em 2013:

- Gols na Libertadores: Ceni encerrou a Libertadores com três gols marcados, dois a menos que o artilheiro da equipe no torneio Luis Fabiano. E os três tentos do goleiro foram importantes durante a campanha do Tricolor. O primeiro, contra o Bolíviar (BOL), ainda pela primeira fase, ajudou o clube do Morumbi a construir uma boa vantagem para o jogo da volta, na Bolívia. O segundo, diante dos bolivianos do The Strongest, não conseguiu evitar a derrota em La Paz por 2 a 1. Já contra o Atlético-MG, no último jogo da primeira fase, o camisa 01 abriu o placar do triunfo por 2 a 0 que colocou o São Paulo na fase de oitavas de final da competição. Ainda, além dos três de pênalti na Libertadores, Ceni deixou o seu no Paulistão, de falta, ante o Guarani.

Ceni marca contra o Atlético-MG no último jogo da fase de grupos (Foto: Tom Dib)

- Falhas: Ao longo do ano, o goleiro são-paulino acumulou algumas falhas decisivas, outras nem tanto. Pela Libertadores, contra o The Strongest (BOL), em La Paz, aceitou ao espalmar para dentro da própria meta um chute de longa distância de Cristaldo, que configurou a derrota do Tricolor na capital boliviana. Pelo Paulistão, Rogério engoliu seu grande frango do ano ao não conseguir encaixar a fraca finalização de Kleiton Domingues, no duelo com o Ituano, no Morumbi. Além dos dois vacilos, o capitão se adiantou e viu Renato Augusto lhe encobrir no confronto de ida da Recopa Sul-Americana e colocar o Corinthians com uma mão na taça.


Goleiro se desculpa por falha contra o Ituano, pelo Paulistão (Foto: Eduardo Viana)

- Lesões: Logo no início da temporada, o goleiro sofreu uma bursite no ombro esquerdo, que o impossibilitou de ir a campo nos jogos contra o Santos e a Ponte Preta. Já no final de março, em choque com o atacante Alexandre Pato, o camisa 01 do Tricolor sentiu dores no pé direito. Mesmo assim, se manteve na equipe para a disputa de jogos decisivos, principalmente na Libertadores e no mata-mata do Paulistão. No torneio continental, foi às redes duas vezes, em cobranças de pênaltis com o mesmo pé direito, dolorido. Já no Estadual, fez boas defesas e, nas penalidades diante do Corinthians, pela semifinal, anotou o primeiro gol, mas ficou marcado por ter se adiantado no chute de Alexandre Pato, em que defendeu e o juiz mandou voltar.

Ceni recebe tratamento após choque com Alexandre Pato no Majestoso (Foto: Eduardo Viana)

O goleiro e capitão são-paulino Rogério Ceni com certeza gostaria que sua provável última temporada da carreira fosse menos melancólica. Eliminado com o Tricolor do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores, o camisa 01, que deve se aposentar no fim do ano, ainda viu Renato Augusto o encobrir e deixar o rival Corinthians com uma mão na taça da Recopa, diminuindo suas chances e as do clube do Morumbi de conquistar um título internacional na temporada - há ainda a Sul-Americana no fim do ano.

Por outro lado, apesar das frustrações e de algumas falhas, como a desta quarta-feira diante do time do Parque São Jorge, a temporada de Ceni também já presenteou os torcedores com bons momentos, como gols importantes e defesas que fazem e sempre farão os são-paulinos evocarem os gritos de "Mito". L!Net lista altos e baixos do goleiro em 2013:

- Gols na Libertadores: Ceni encerrou a Libertadores com três gols marcados, dois a menos que o artilheiro da equipe no torneio Luis Fabiano. E os três tentos do goleiro foram importantes durante a campanha do Tricolor. O primeiro, contra o Bolíviar (BOL), ainda pela primeira fase, ajudou o clube do Morumbi a construir uma boa vantagem para o jogo da volta, na Bolívia. O segundo, diante dos bolivianos do The Strongest, não conseguiu evitar a derrota em La Paz por 2 a 1. Já contra o Atlético-MG, no último jogo da primeira fase, o camisa 01 abriu o placar do triunfo por 2 a 0 que colocou o São Paulo na fase de oitavas de final da competição. Ainda, além dos três de pênalti na Libertadores, Ceni deixou o seu no Paulistão, de falta, ante o Guarani.

Ceni marca contra o Atlético-MG no último jogo da fase de grupos (Foto: Tom Dib)

- Falhas: Ao longo do ano, o goleiro são-paulino acumulou algumas falhas decisivas, outras nem tanto. Pela Libertadores, contra o The Strongest (BOL), em La Paz, aceitou ao espalmar para dentro da própria meta um chute de longa distância de Cristaldo, que configurou a derrota do Tricolor na capital boliviana. Pelo Paulistão, Rogério engoliu seu grande frango do ano ao não conseguir encaixar a fraca finalização de Kleiton Domingues, no duelo com o Ituano, no Morumbi. Além dos dois vacilos, o capitão se adiantou e viu Renato Augusto lhe encobrir no confronto de ida da Recopa Sul-Americana e colocar o Corinthians com uma mão na taça.


Goleiro se desculpa por falha contra o Ituano, pelo Paulistão (Foto: Eduardo Viana)

- Lesões: Logo no início da temporada, o goleiro sofreu uma bursite no ombro esquerdo, que o impossibilitou de ir a campo nos jogos contra o Santos e a Ponte Preta. Já no final de março, em choque com o atacante Alexandre Pato, o camisa 01 do Tricolor sentiu dores no pé direito. Mesmo assim, se manteve na equipe para a disputa de jogos decisivos, principalmente na Libertadores e no mata-mata do Paulistão. No torneio continental, foi às redes duas vezes, em cobranças de pênaltis com o mesmo pé direito, dolorido. Já no Estadual, fez boas defesas e, nas penalidades diante do Corinthians, pela semifinal, anotou o primeiro gol, mas ficou marcado por ter se adiantado no chute de Alexandre Pato, em que defendeu e o juiz mandou voltar.

Ceni recebe tratamento após choque com Alexandre Pato no Majestoso (Foto: Eduardo Viana)