icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
23/11/2014
09:02

Obcecado pelo título da Copa Sul-Americana, o São Paulo deve usar time misto no clássico deste domingo, às 17h, contra o Santos, válido pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Isso não significa, porém, que o torneio nacional será deixado de lado. A prova é que Alexandre Pato, provável substituto de Alan Kardec na segunda semifinal contra o Atlético Nacional (COL) será a grande arma tricolor na Arena Pantanal, em Cuiabá.

O atacante ficou fora de combate por oito partidas após lesão na coxa esquerda sofrida contra o Huachipato (CHI) e foi utilizado nos minutos finais dos dois últimos jogos do São Paulo no ano. No período em que esteve de molho, Luis Fabiano se reergueu e virou titular incontestável da equipe. Agora, com a lesão de Kardec, será a vez do camisa 11 tirar proveito de acidentes de percurso para se firmar.

Pato já teve de encarar outros tipos de dificuldades no São Paulo. Logo que chegou emprestado pelo Corinthians, ficou longos períodos apenas treinando por não poder atuar no Campeonato Paulista. No início do segundo semestre, perdeu moral com Muricy Ramalho e foi preterido por Ademilson.

A ascensão do atacante, curiosamente, começou também em partida em que o Tricolor usou time misto. Contra o Bragantino, na terceira fase da Copa do Brasil, Pato foi uma das poucas estrelas em campo e decidiu a vitória por 2 a 1. A grande atuação fez com que o ex-corintiano saísse da equipe apenas com a lesão na coxa esquerda.

E um dos ápices do primeiro ano do artilheiro com a camisa do São Paulo foi justamente contra o Santos. No 1º turno, as duas equipes empatavam em 1 a 1 no Morumbi quando Pato apareceu livre na área e, em duas tentativas, sacramentou o triunfo do Tricolor. A cena se repetiu outras oito vezes no Brasileirão, mantendo o atacante como artilheiro do Tricolor ao lado de Alan Kardec e Luis Fabiano.