icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão, Marcello Vieira e Sérgio Arêas
04/04/2014
08:04

Fluminense e Unimed estão em crise e a parceria pode estar próxima do fim. A decisão do presidente Peter Siemsen de demitir Renato Gaúcho contrariou Celso Barros a tal ponto que o patrocinador não só atacou o mandatário tricolor via imprensa, como também deixou claro que se lembraria do episódio em dezembro, data em que a relação comercial entre as partes é revista e pode ser encerrada caso esteja desagradando um dos lados. A impaciência, todavia, não se restringe apenas a Celso. Cansado com a postura intransigente do mecenas, Peter já cogita terminar a relação.

Após o encontro com Celso Barros na terça, do qual participaram Peter e Ricardo Tenório, o discurso por parte do Fluminense era de conciliação, como o LANCE!Net noticiou nesta quinta-feira. No entanto, o mecenas não se controlou e soltou o verbo.

E MAIS
- Cristovão Borges rejeitou proposta do Oriente Médio pelo Fluminense

L!TV
- Mão na massa! Cristovão já comanda primeiro treino no Flu

– Não acredito que haja solução para esta divergência. Vamos terminar este ano e depois a gente conversa – disse Celso, à Rádio Brasil.

O presidente do Flu tem compreensão de que a Unimed é uma parceira importante. Neste sentido, um novo patrocinador deverá mudar o perfil do elenco para um time com menos craques, mas que pode seguir competitivo. O desafio é encontrar novo patrocínio até o fim do ano. Missão que será tocada pelo mandatário.

Peter não irá entrar em bate-boca. No Flu, algumas pessoas acreditam que o mecenas agiu de cabeça quente e poderia rever a conduta. Embora improvável, uma reaproximação, tendo em vista os meses até a revisão da parceria pela frente, poderia ser possível. Mas tanto Peter quanto Celso não planejam conversar tão cedo. Não à toa, Barros foi tão veemente em entrevista à Rádio Brasil.