icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/03/2014
07:10

Na quinta-feira, Adilson Batista e Renato Gaúcho estarão separados por alguns metros na beira do gramado do Maracanã. Cada um comandando o seu time na semifinal do Campeonato Carioca. Os dois treinadores, todavia, são velhos conhecidos. Há 20 anos, o vascaíno era um zagueiro de qualidade indiscutível e o tricolor um atacante que colocava medo nos adversários. Mas o tempo passou...

Na década de 1990, Adilson e Renato foram companheiros no Cruzeiro (1992 e 1993) e no Atlético-MG (1994). Mas, curiosamente, eles são grandes ídolos do Grêmio. O técnico do Vasco foi o capitão da conquista dos gaúchos na Copa Libertadores 1995, enquanto o comandante do Fluminense, cinco anos mais velho, foi o craque no título de 1983 no torneio continental, além do Mundial Interclubes.

E MAIS
- Carlinhos minimiza jejum contra o Vasco: 'Tabu existe para ser derrubado'
- ‘Mensalão’ volta a agitar processo de eleição presidencial do Vasco

Companheiros de outrora e rivais nesta quinta-feira, os dois guardam boas lembranças do passado.

- Enfrentei-o poucas vezes, pois na maioria delas jogamos juntos. Mas o Renato sempre foi um jogador de potencial, muita força e poder de definição. Hoje nos encontramos muito pouco, sempre em jogos - disse o vascaíno.

Já Renato celebra a amizade que existe entre os dois até hoje.

- O Adilson é um bom técnico. Somos amigos até hoje, colegas de profissão, e já jogamos juntos no Cruzeiro e no Atlético-MG.

Embora tenham sido jogadores de qualidade indiscutível, os dois ainda buscam tornar-se treinadores com este mesmo adjetivo. Um título carioca pode ser o início.

OPÇÃO POR TRÊS VOLANTES

Tanto Vasco quanto Fluminense, apesar estarem entre os melhores ataques do Carioca – com 31 gols marcados cada – costumam atuar com três volantes. No Vasco, Adilson tem escalado frequentemente o meio-campo com Guiñazú, Aranda e Pedro Ken, deixando Douglas como o único meia.

Já Renato tem optado pelo Fluminense com Valencia, Diguinho e Jean. E apenas Conca como armador. Contudo, os dois treinadores ainda não confirmaram qual serão as formações no clássico nesta quinta-feira. No Cruz-Maltino, por exemplo, Adilson treinou com dois volantes na terça e três atacantes.

ADILSON E RENATO JUNTOS

Cruzeiro
Entre 1992 e 1993, a dupla estava junta atuando pelo Cruzeiro. Renato Gaúcho foi do Botafogo para o clube mineiro. Já Adilson Batista, por sua vez, saiu do Atlético-PR, em 1989, e ficou na Raposa até 1993. Lá, a dupla conquistou um Campeonato Mineiro e uma Supercopa dos Campeões da Libertadores, ambas no ano de 1992.

Atlético-MG
O reencontro de Adilson Batista e Renato Gaúcho aconteceu no ano seguinte e, coincidentemente, em Minas Gerais. Desta vez foi atuando pelo Atlético-MG. Ao sair da Raposa, Adilson seguiu para o Internacional, chegando ao Galo em 1994. Já o treinador do Fluminense deixou o Flamengo para defender o clube mineiro.