icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/11/2014
12:01

Era a noite dos sonhos para muitos palmeirenses, mas bastou o apito inicial para a torcida do Verdão perceber que a estreia do Allianz Parque não seria como esperado. Após a festa inicial, lágrimas quando o juiz decretou a vitória do Sport por 2 a 0. A festa foi bonita, o jogo não. Para Fernando Prass, a empolgação dos torcedores não afetou o desempenho da equipe:

- Não faltou psicológico, faltou futebol. Jogamos mal. Não chamo de vexame, não. Fizemos uma partida ruim, agora temos que parar e pensar, porque de cabeça quente não dá para resolver as coisas - apontou.

Capitão na partida diante do Sport, Marcelo Oliveira seguiu o discurso de seu goleiro e afirmou que a festa não atrapalhou os jogadores do Verdão. Segundo o camisa 26, o elenco do Palmeiras entrou preparado para o jogo:

- Acho que entramos preparados para esse jogo. Conversamos muito sobre como isso é importante. Sobre a festa, a emoção, o nosso foco era dentro de campo - disse, antes de analisar taticamente a partida.

- No começo fomos bem. Sabíamos que eles viriam fechados e sairiam nos contra-ataques. E foi isso que aconteceu, infelizmente.

Ex-jogador do Palmeiras e atualmente no Sport, Diego Souza contrariou o que disseram Marcelo Oliveira e Fernando Prass. Para o camisa 87 do time pernambucano esse não era o momento ideal para o Verdão estrear seu estádio.

Diego ainda apontou um problema no elenco do Palmeiras: jogadores jovens. Para ele, alguns não souberam relaxar para "jogar um bom futebol":

- No momento não era ideal estrear, eu torcia para que fosse num momento melhor. Ansiedade sempre vai existir. Além de ter a pressão para fugir da zona de rebaixamento, tem a pressão da estreia da Arena e isso pesa. A equipe do Palmeiras é mesclada, tem jogadores jovens que não sabem captar isso tudo e relaxar para poder jogar um bom futebol - sentenciou.