icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/03/2014
18:00

Foi no sufoco, mas o Palmeiras aumentou para 22 jogos a invencibilidade no Pacaembu ao derrotar a Ponte Preta por 3 a 2. A partida válida pela 14ª rodada do Campeonato Paulista ficou marcada pelos gols perdidos pelo Verdão e por dois pênaltis duvidosos marcados pelo árbitro Marcelo Rogério. Os palmeirenses dormem na liderança geral do estadual e jogam a pressão para o Santos, que enfrenta o Rio Claro neste domingo.

Agora com 35 pontos, o Verdão vai até a Vila Belmiro para encarar o Santos, às 16h, no próximo domingo, no duelo para saber quem terminará a primeira fase do Campeonato Paulista com a melhor campanha e com o direito de decidir todas as fases eliminatórias como mandante. No mesmo dia e horário, a Ponte recebe o Mogi Mirim no Moisés Lucarelli para cumprir tabela. Com a derrota do São Bernardo para o Bragantino, a Macaca garantiu vaga nas quartas de final com 24 pontos contra 20 do Bernô.

Logo com dois minutos de jogo, a equipe campineira mostrou força pelo lado esquerdo quando Silvinho escapou de Wendel e lançou Magal na linha de fundo. O volante improvisado na lateral esquerda levantou a cabeça e cruzou para Rossi ser travado por Juninho na primeira tentativa e depois fuzilar Fernando Prass. Era apenas uma prévia do sofrimento que os palmeirenses passariam ao longo da partida.

O placar fez a Ponte recuar e deixou o clima no gramado muito quente. Entre carrinhos, cotoveladas e cartões amarelos, o Palmeiras tentava colocar a bola no chão. Praticamente em linha no setor ofensivo, Bruno César avançava pela direita, Valdivia pelo meio e Juninho ocupava a ponta esquerda. Os toques rápidos abriam a defesa da Macaca, mas faltava capricho nas finalizações.

Somente na segunda etapa a muralha armada por Vadão ruiu. Decisivo na Copa do Brasil ao dar assistência para Leandro contra o Vilhena, Bruno César cobrou falta, Roberto espalmou para o meio e o uruguaio Sebastian Eguren empurrou para as redes aos 15 minutos. Instantes depois do empate, Bruno César mais uma vez apareceu pela direita, escapou de Carleto e caiu na área.

 
        Gol de Mendieta garante triunfo do Verdão no Pacaembu (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)

O árbitro Marcelo Rogério se equivocou ao marcar pênalti e Alan Kardec, com muita categoria, virou o placar. A vantagem alviverde, no entanto, durou apenas oito minutos. Em mais uma penalidade inexistente, desta vez de Wendel em Silvinho, o próprio atacante foi para a cobrança e soltou pancada no centro do gol para deslocar Prass e empatar.

Já aos 42 minutos, Kardec recebeu belo passe de Valdivia pelo lado esquerdo. O atacante apenas rolou para o paraguaio Mendieta, que sem marcação, completou para o gol. Festa e alívio no Pacaembu na virada heroica do Palmeiras.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 2 PONTE PRETA

Local: Estádio do Pacaembu (SP)
Data/Hora: 15 de março de 2014, às 16h
Árbitro: Marcelo Rogério
Assistentes: Daniel Luis Marques e Patricia Carla de Oliveira.
Público/renda: 10.150 pagantes / R$395.020,00
Cartões amarelos: Wendel (Palmeiras); Diego Sacoman, Alef, Bruno Silva, Adrianinho, Thiago Carleto (Ponte Preta)

GOLS: Rossi, 2/1ºT (0-1), Eguren, 15/2ºT (1-1), Alan Kardec, 17/2ºT (2-1), Silvinho, 25'2ºT (2-2), Mendieta, 42'2ºT (3-2)

Palmeiras: Fernando Prass, Wendel, Lúcio, Tiago Alves e Juninho; França (Mendieta, 30' / 2ºT), Eguren, Valdívia e Bruno César (Patrick Vieira, 27'/2ºT); Leandro (Vinicius, 36'/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina

Ponte Preta: Roberto, Ferrugem, César, Diego Sacoman e Magal; Bruno Silva (Bruno Silva - Intervalo) , Alef, Adrianinho (Bida - Intervalo) e Silvinho; Rossi (Carleto 14' / 2ºT) e Antônio Flávio. Técnico: Vadão