icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
23/07/2014
12:04

O São Paulo deu o penúltimo passo para que Kaká possa estrear domingo, às 16h, contra o Goiás no Serra Dourada. Com o craque bem fisicamente e já regularizado na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Tricolor precisou de aval do Orlando City (EUA), que pretendia ver seu atleta em campo pela primeira vez em partida disputada no Morumbi.

Conforme a reportagem do LANCE!Net explicou no último dia 7, os são-paulinos criaram engenharia complexa para complentar o pagamento do empréstimo aos americanos. Por mês, Kaká recebe cerca de R$ 400 mil das mãos dos tricolores, que têm o compromisso de repassar lucros com patrocínios, produtos especiais e até a renda líquida do primeiro jogo no Morumbi para o Orlando City. Além disso, um novo amistoso entre as equipes deve ser agendado, mas ainda sem data e local definidos.

- Sem restrições - afirmou o dono do Orlando City, o empresário brasileiro Flávio Augusto da Silva ao L!Net.

Como os donos dos direitos econômicos de Kaká possuem, por contrato, propriedades da partida de estreia do craque na casa são-paulina, a cúpula tricolor temia que uma derrota com o meia em campo diante do Goiás no domingo pudesse esfriar a empolgação dos torcedores. No cenário mais pessimistas, o público contra o Criciúma no dia 2 de agosto seria menor que o previsto, bem como a renda a ser repassada aos americanos.

A boa relação criada entre os clubes, principalmente pela atuação do gerente-executivo Gustavo Oliveira, acabou resolvendo o entrave. Após conversas, o São Paulo já anunciou que Kaká está livre para atuar no Serra Dourada. A última pendência, agora, é o aval da comissão técnica, que fará reunião nesta sexta-feira para decidir se aproveitará o camisa 8 na 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.