icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/11/2013
19:21

A multa rescisória exigida por Gilson Kleina para renovar com o Palmeiras não tem valor definido, mas pode chegar no máximo a R$ 600 mil. De acordo com Paulo Nobre, presidente do clube, ficou estipulado que o técnico ganhe no máximo três meses de salário se for demitido antes de 31 de dezembro de 2014 - os vencimentos fixos do treinador, que entram nesta conta, ficarão em R$ 200 mil. Ele terá bonificações por metas alcançadas, podendo chegar a R$ 400 mil

- Tem uma compensação financeira para o caso de ele ser demitido, de três meses de salário integral. Se ele se empregar em outro clube, o Palmeiras não será obrigado a pagar. Ele mostrou muito profissionalismo, disse que isso acontece muito na Europa. Eu acho muito justo que, caso ele não se empregue, tenha esse "aviso prévio" de três meses - explicou o mandatário.

Se Gilson Kleina aceitar uma proposta de outra equipe ou quiser romper o contrato, não precisará pagar nada ao Palmeiras. Paulo Nobre viu com bons olhos estes termos porque o clube já sofreu para arcar com compromissos firmados com técnicos que acabaram demitidos.

- O Palmeiras já chegou a pagar três ou quatro técnicos ao mesmo tempo, e alguns profisisonais sentam no contrato. E isso não é justo com o clube. Chegamos a um comum acordo, em que ele fica tranquilo para desenvolver o trabalho e não prejudica o clube. Ele está de parabéns pela postura dele - completou o mandatário.