icons.title signature.placeholder Daniel Guimarães e João Matheus Ferreira
25/11/2014
06:00

Em janeiro desta temporada, o Vasco contratou uma dupla estrangeira: o goleiro Martin Silva e o volante Aranda, ambos vindos do Olímpia (PAR). Com a chegada do camisa 1, o Cruz-Maltino conseguiu resolver um problema grave na meta, que vinha desde a temporada anterior. Para o ano que vem, no entanto, por conta de questões financeiras, a nova gestão, que assumirá o clube no próximo dia 2, terá de assumir uma dívida pelos dois para evitar ações judiciais.

O problema é que a atual gestão não pagou tudo o que foi acordado com a diretoria do Olímpia pelos jogadores. O Vasco ainda deve 500 mil  dólares (cerca de R$ 1,2 milhão) ao ex-presidente do clube paraguaio, Marcelo Recanate.

Por uma cláusula no contrato, se o dirigente não receber o pagamento, que deveria ter sido feito no máximo seis meses depois da negociação, pode processar os atletas.

Martin Silva e Aranda, que têm contrato com o Vasco até janeiro de 2016, foram os únicos jogadores adquiridos pelo clube neste ano.

Ciente de que os cofres do Gigante da Colina estão combalidos e que não terá apenas esta dívida para sanar, mesmo antes de assumir o comando do Vasco, o grupo de Eurico Miranda já está se movimentando para encontrar novos patrocinadores em busca de mais receita. O empresário Fernando Horta, presidente da escola de samba Unidos da Tijuca e futuro primeiro vice-presidente geral do Cruz-Maltino, é quem está intermediando as negociações.

Em meio à indefinições sobre a permanência de jogadores, o certo é que a nova gestão terá muito trabalho para recolocar o Cruz-Maltino no caminho certo em 2015.