icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/11/2013
18:44

A queda do guindaste que vitimou dois operários das obras da Arena Corinthians mobilizou boa parte da imprensa que cobre o cotidiano do clube para Itaquera, mas o grupo de jogadores foi obrigado a treinar normalmente no CT Joaquim Grava, seguindo a programação da comissão técnica. Logo após o trabalho técnico, o zagueiro Paulo André se disponibilizou a conceder entrevista coletiva e falar em nome do grupo de jogadores a respeito da tragédia.

- É um momento triste. Eu só fiquei sabendo quando cheguei aqui ao clube. É uma tragédia, e eu espero e torço para que as famílias dos dois falecidos tenham força nesse momento e possam superar essa dificuldade. Nós jogadores não conversamos sobre o assunto, mas tenho certeza que todos lamentam o ocorrido, a tragédia, e não tem muito o que fazer, né? - afirmou o capitão do Corinthians, abalado pelo ocorrido.

Parte dos jogadores do Timão nem tinha conhecimento do fato, pois alguns chegaram em cima da hora para o treino marcado para às 16h. Paulo André, que afirmou ter chegado "um pouco antes", pôde assistir pela televisão os desdobramentos da queda do guindaste, mas assegurou que o tema não foi assunto da conversa entre os jogadores. Pelas redes sociais, vários deles enviaram mensagens de luto.

- Não deu tempo de assimilar a questão. O treino ocorreu normalmente, como sempre ocorre, e a gente espera que daqui para frente possa não ocorrer mais coisas desse tipo. Que a gente consiga completar as obras sem problema nenhum - afirmou o zagueiro, ciente de que o conserto deve se estender por dois meses.

A previsão de acabamento do estádio, que era para dezembro deste ano (94% das obras estavam concluídas), não será cumprida. Até o momento, a Fifa não se posicionou sobre a sede de São Paulo para a Copa do Mundo no Brasil, que tem início em 12 de junho de 2014.

Exclusivo! Imagens da Arena Corinthians logo após o desabamento