icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes e Pedro Leanza
17/12/2013
07:03

A rejeição interna ao nome de Emerson Sheik prevaleceu e o atacante está fora dos planos do Flamengo para 2014. A divisão em relação ao jogador já havia sido mostrada explicitamente entre os vices de futebol e de relações externas no fim da semana passada e a operação foi abortada.

Os contatos com o agente do jogador, Reinaldo Pitta, aconteceram por meio de Plínio Serpa Pinto, vice de relações externas. O tempo de contrato chegou a ser discutido – por duas temporadas –, mas Sheik precisava reduzir o salário para retornar ao Rubro-Negro.

Wallim Vasconcellos, responsável pela pasta do futebol e que estava fora na semana passada, negou as conversas pelo atacante. Ele não se mostrou favorável à volta de Sheik, apesar de, no meio do ano, o Flamengo ter tentado a contratação do jogador, que teve o contrato renovado com o Corinthians.

E os discursos contraditórios dos dirigentes externaram as diferenças em relação às divergências quanto a Sheik. No sábado, após atender ligação do LANCE!Net, Plínio Serpa Pinto condicionou uma entrevista à reportagem à colocação de uma declaração à qual dizia que ele "nunca negociou com Reinaldo Pitta ou com Sheik", mas sem negar o interesse do clube.

Esse episódio mostra que prevaleceu, no fim, a voz do atual vice de futebol, Wallim Vasconcellos, mesmo diante da possibilidade de mudança na estrutura do futebol para a próxima temporada.

Plínio era cotado para assumir a pasta do futebol e ganhava força nos bastidores, assumindo, inclusive, a frente pela contratação de reforços para 2014.

A ideia era que Wallim fosse responsável exclusivo pelo fundo de investimentos, o V3, criado em julho deste ano para contratar jogadores. Criticado internamente ao longo do ano, o vice, porém, ganhou forças após a conquista do título da Copa do Brasil e o veto a Sheik mostra que ele não irá abdicar da pasta do futebol.