icons.title signature.placeholder Gabriela Abrunheiro
03/04/2014
16:16

O promotor José Carlos Freitas, de Justiça de Habitação e Urbanismo de São Paulo, afirma que o Ministério Público não faz vistas grossas às irregularidades da Arena Corinthians e não vai se curvar, caso sofra pressões para não atrasar ainda mais as obras do estádio, que será sede da abertura da Copa, no dia 12 de junho.

– Essa pressão não chegou ao Ministério Público. E se chegar o Ministério Público não vai se curvar – afirmou o promotor, em entrevista ao L!Net.

É baseado no relatório do Corpo de Bombeiros, com 26 irregularidades, que ele convocou reunião para a próxima semana com o Corinthians e com a Odebrecht, construtora responsável pelas obras do estádio.

O promotor disse ainda que a arena pode ser interditada até durante a Copa.

L!Net – Como viu as declarações do superintendente Luiz Antonio de Medeiros sobre o Ministério do Trabalho e Emprego fazer vistas grossas para as irregularidades na arena de Itaquera?

Não é o Ministério Público que vai dizer se a obra está regular ou irregular. A princípio confiamos na informação dos órgãos responsáveis, no caso o Corpo de Bombeiros. Se falar que está O.K., vamos confiar. Agora, não basta vir a público falar sem ter a base técnica, falar só por falar. Só trabalhamos com dados técnicos. Simplesmente falar a informação assim, me parece que é querer espaço na mídia. É querer aparecer. O momento é de ajudar. Não de sair falando.

L!Net – Ele diz que tem respaldo do ministro do Trabalho. Há pressão para que os estádios fiquem prontos a qualquer custo?

Essa pressão não chegou ao Ministério Público. E se chegar o Ministério Público não vai se curvar.

L!Net – Foram 26 irregularidades apontadas pelo Corpo de Bombeiros. Entre elas, questões como projeto de proteção contra incêndio e estudo de fluxo de pessoas. O próprio superintendente do MTE apontou outras questões como a ausência de uma rede de proteção (o guarda-corpos). Quem pode ser responsabilizado pela morte de mais um operário?

Vai acontecer uma reunião segunda-feira, às 14h. Já foi alinhada com o Corpo de Bombeiros. O convite foi feito para o advogado do Corinthians por telefone e por e-mail. Até agora nenhuma resposta chegou no meu e-mail. Mas a intenção é sentar e conversar sobre o que falta.

L!Net – Pode mesmo haver paralisação das obras, mesmo sendo em um estádio da Copa do Mundo?

Se o estádio não fornecer 100% segurança, eu não vejo problema em pedir a interdição mesmo com a Copa do Mundo rolando. O MP não quer aparecer nas páginas de jornais por causa da morte de pessoas.