icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/07/2014
18:48

Alegando preocupação com a violência entre torcedores, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Coordenação do Grupo Nacional de Prevenção e Combate a Violência nos Estádios do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG) recomendaram o fim da venda e o do consumo de bebidas alcoólicas nos próximos jogos da Copa do Mundo, a começar pelo duelo desta sexta-feira, entre França e Alemanha, pelas quartas de final do Mundial. O COL e a Fifa foram notificados sobre a recomendação.

O documento também foi enviado às concessionárias de comidas e bebidas Convivas Brasil e Aramark, responsáveis pelos serviços das lanchonetes das arenas, para que não vendam ou forneçam aos torcedores garrafas ou latas. Para que haja controle, a Polícia Militar também está na lista de destinatários da recomendação.

O entendimento dos promotores envolvidos na formulação do documento é que há "inúmeros relatos de episódios de violência envolvendo torcedores, em razão do consumo de bebidas alcoólicas, ocorridos no Maracanã, durante os jogos da Copa do Mundo, conforme consta nos relatórios do GEPE".

O COL e a Fifa já admitiram que, em caso de recomendação das autoridades de segurança, podem suspender a venda de bebidas e que isso está previsto no regulamento da Copa-2014. Até o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, falou em recente entrevista ao SporTV que está "muito assustado" com o nível de embriaguez dos torcedores no Brasil.