icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
30/03/2014
08:03

Entre as três principais ligas americanas, a Major League Baseball (MLB), cuja temporada 2014 começa na noite deste domingo, certamente é a última na preferência da maioria dos brasileiros em relação à NBA (basquete) e a NFL (futebol americano). Mas a cada ano, os organizadores do campeonato americano de beisebol observam no Brasil e em outras nações mercados com potencial na busca por mais fãs e até jogadores. Por isso, a MLB tem procurado estreitar cada vez mais laços com o país.

Visita dos atletas brasileiros que atuam na MLB (Yan Gomes e André Rienzo) com participação em eventos e trabalho com a mídia, desenvolvimento de um guia para os fãs com informações das regras, times e jogadores nacionais, e até a realização de campos de treinamentos (os chamados Elite Camp) para jovens com a participação de olheiros dos times e ex-jogadores. Esses são os principais trabalhos realizados pela liga atualmente.

– A Major League faz isso porque vê uma oportunidade no país. A liga quer globalizar o esporte e se orgulha em ver jogadores de diversos países participando do campeonato. Eles pensaram no Brasil por causa da economia forte, do número de atletas e do sucesso que existe em diversos esportes. Acreditam que aqui tem muito potencial – afirmou o coordenador geral do Elite Camp e treinador da Seleção Brasileira de beisebol, Barry Larkin ao LANCE!Net.

Em sua quarta edição no Brasil, o Elite Camp ocorreu no início de fevereiro e teve a participação de 51 atletas, de 14 a 18 anos, sendo dez venezuelanos e um peruano. Foram dez dias de atividade no Centro de Treinamento Yakult, em Ibiúna (SP).

Entre os participantes estava Rodrigo Takahashi, de 17 anos, que dias antes foi anunciado pelo Arizona Diamondbacks. Inicialmente, vai treinar nos Estados Unidos, participando de algumas ligas menores.

Quem também marcou presença foi Rafael Fernandes. Após uma passagem pelo Tokyo Yakult Swallows, do Japão, o arremessador esperava impressionar algum olheiro.

– Na minha época, não tinha muito disso. Se eu fosse um garoto, seria um sonho. É bem inspirador. E é importante para ganhar conhecimento. O Brasil é carente em parte técnica, de estratégia. Isso decide uma partida – disse o atleta de 27 anos.

Ideia é ter partida no país no futuro

ACom tanto interesse, seria possível a realização de uma partida da MLB no Brasil? A ideia da liga realmente é trazer alguns jogos para o país, mas alguns empecilhos precisam ser resolvidos antes.

– A intenção da MLB é encontrar um estádio para poder realizar, pelo menos, uma estreia do campeonato. Mas ainda é muito cedo. O campo do Bom Retiro, em São Paulo, não tem condições. A liga americana tem um departamento que cuida só de investimentos em estádios e campos para alavancar o esporte – disse o presidente da Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol, Jorge Otsuka.

Na busca por novo mercados, a MLB inovou. Apesar de o início oficial da temporada regular ser apenas neste domingo, Los Angeles e Saint Louis Cardinals fizeram duas partidas na Austrália na semana passada.

Atualmente, na MLB, o Brasil conta apenas com um jogador ativo, Yan Gomes, que atua no Cleveland Indians. André Rienzo não está entre os relacionados do Chicago White Sox para a estreia no campeonato.

LIGAS AMERICANAS NO BRASIL:

MLB
No início do ano, desenvolveu o quarto Elite Camp para o treino e observação de jovens atletas. A liga paga uniformes, equipamentos e a viagem de seus representantes e olheiros. Ainda trouxe os brasileiros Yan Gomes e André Rienzo para eventos com fãs e imprensa. Tudo para buscar novos talentos, desenvolver o esporte no país e, futuramente, até ter um jogo. Em outros locais, também ocorre tal trabalho: Austrália, China, Europa e África do Sul. Na Austrália ocorreu a abertura desta temporada.

NBA
Apesar de contar com cinco atletas brasileiros, a liga de basquete americano teve seu primeiro jogo no país em outubro do ano passado. Outro ocorrerá em 2014. Além disso, possui loja virtual no país e realiza com frequência eventos do 3x3 e clínicas.

NFL
A liga de futebol americano começa a dar mais atenção ao país agora. Em fevereiro, alguns jogadores participaram de um evento no Rio de Janeiro.

CONFIRA ALGUMAS OPINIÕES:

“Fiquei surpreso com o nível de talento. O Brasil é tradicionalmente conhecido pelo futebol. Não esperava. Um dos diferenciais para um jogador de beisebol é ter uma boa forma, e o futebol também tem isso”, Barry Larkin, coordenador geral do Elite Camp.

“É uma oportunidade de observar onde estão os talentos. Ao mesmo tempo, podemos dar um feedback aos jogadores de como eles estão e como podem estar. Estamos aqui para ajudar a desenvolver o esporte no Brasil. Existem muitos esportes que tem sucesso no país, mas o beisebol pode ser uma opção para outros jogadores. É uma coisa que estamos tentando fazer no mundo todo”,  Mike Larson, estatístico da Major League Baseball, que disponibiliza as informações sobre os atletas do Elite Camp para todas as equipes da liga americana.