icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Matheus Babo
03/03/2014
11:01

Todas as manchetes falavam sobre Michael e a o flagra com cocaína no exame antidoping quando Abel Braga concedeu uma entrevista coletiva dizendo que acabara de ganhar um filho. O suporte ao garoto foi fundamental para a recuperação da dependência. Quem garante é o próprio jogador, que não poupou elogios ao treinador, disse que tem uma dívida com Abelão e ressaltou que ainda espera trabalhar com ele novamente.

- Abel é um cara que sempre que falo dele, falta alguma coisa. Acho que fiquei devendo para ele. Acreditou em mim, me subiu para o profissional e quando precisou de mim, não podia jogar para ajudar. Tenho essa dívida. Como pessoa foi um cara que me ajudou muito. Aquela declaração dele no dia do doping foi uma coisa que mexeu bastante. Não esperava ouvir aquilo. Foi a melhor coisa que ouvi naquele dia. Me deu muita força para seguir trabalhando. Ele me ligou várias vezes durante a internação. Foi um relacionamento muito bom. Espero poder encontrá-lo no futuro - disse em entrevista exclusiva ao LANCE!Net.

Quem também foi lembrado por Michael foi o ex-diretor executivo do clube, Rodrigo Caetano. O jogador revelou que Caetano tomou uma medida de levá-lo sempre para viagens e concentrações mesmo com a suspensão:

- Não posso esquecer o Rodrigo Caetano, que me ajudou bastante, sempre me apoiou, me chamava para viajar, concentrar. Tenho uma gratidão por ele, por estar presente nesse momento que precisei. Sempre precisamos de alguém nas dificuldades e todos no clube estavam ali.

COM A PALAVRA
Abel Braga
Ex-técnico do Fluminense

No dia que falei sobre o Michael, não disse nada na posição de homem ou de treinador, mas como pai. Ele teve um momento de fragilidade, mas tenho certeza que isso serviu para que ficasse mais forte para a vida. Não tenho a menor dúvida que vai ser um dos melhores atacantes do Brasil no futuro. Já voltou muito bem e tenho certeza que vai ajudar muito o Flu. Espero mesmo ter a oportunidade de voltar a trabalhar com ele um dia.

COM A PALAVRA
Rodrigo Caetano
Ex-diretor executivo do Fluminense

Fui um dos primeiros a saber quando o Michael tinha sido flagrado no exame antidoping. Por ser garoto, nós do Fluminense, na época, entendemos que tínhamos a responsabilidade social de ajudá-lo. Foi uma honra participar da recuperação dele e fico muito feliz de ver esse garoto jogando muito bem. Porém, a vontade dele de se ajudar foi determinante para essa recuperação. É um jovem e merecia uma segunda chance. Acreditamos nele e tudo correu muito bem.