icons.title signature.placeholder Michel Castellar
26/06/2014
13:16

Momentos de desespero e correria passaram os peruanos Andrez Giurinovic e Rodrigo San Ramom, ambos de 30 anos, uma hora antes do início da partida entre Portugal e Gana, pela última rodada do Grupo G, no Estádio Nacional de Brasília - Mané Garrincha. Vestidos com a camisa da Argentina e carregando duas grandes fotos do rosto de Messi, os dois eram parados a todos o instante para fotos e, em uma dessas ocasiões, um deles teve o ingresso do confronto furtado.

- Enfiaram a mão no meu bolso e nem senti. Foi muito rápido e agora tenho de conseguir outro - disse Ramon, com a sua máscara de Messi embaixo do braço, enquanto era parado para mais uma foto.

Ramon tentou recuperar o ingresso junto à Fifa. Primeiro, na porta do estádio foi orientado a ir ao Centro de Ingressos que fica há cerca de 500 metros do local.

No Centro de ingressos, ficou sabendo que nada poderia ser feito para ajudá-lo. Em disparada, saiu novamente em direção ao Mané Garrincha e só restava uma alternativa: comprar de um cambista.

Por sorte, Ramon encontrou dois colombianos que tinham um ingresso para a partida, de um amigo que não pôde ir, e desejavam vendê-lo. Para espanto de Ramon, ambos não quiseram cobrar nada a mais pelo tíquete e ele pagou o mesmo preço da entrada furtada, R$ 270.

Amigo de Ramon, Giurinovic explicou que os dois saíram de Lima e já estiveram em Belo Horizonte, onde acompanharam o confronto entre Argentina e Irã, além de Costa Rica e Inglaterra. Em Brasília, além do jogo entre Portugal e Gana, os dois amigos irão assistir à França e Nigéria, pelas oitavas de final.

- Viemos de Messi para implicar com Cristiano Ronaldo. Messi é muito melhor do que ele mas empata com Neymar. A final ideal é Brasil e Argentina sendo decidida nos pênaltis - afirmou Giurinovic.