icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/03/2014
13:39

Mesmo se retratando publicamente via nota oficial e carta aberta do presidente Luis Osemale, o Clube Esportivo registrou boletim de ocorrência em Bento Gonçalves questionando a veracidade das acusações do árbitro Márcio Chagas, que sofreu agressões racistas na partida entre a equipe e o Veranópolis, pelo Campeonato Gaúcho.

A reclamação foi feita pelo vice-presidente do Alviazul, Vladimir Santos de Oliveira, que acusou o árbitro de difamação da imagem do clube pela imprensa. O dirigente também duvidou que o estacionamento exclusivo da arbitragem tenha sido o local onde o carro de Chagas foi depredado. 

Apesar da postura conciliatória desta sexta-feira, o vice-presidente já havia dado pistas da postura do clube na noite do jogo:

- Isso foi algo que saiu na mídia, mas a gente ainda está analisando os fatos - disse o cartola na quarta-feira.

Segundo o portal "Serra Nossa", de Bento Gonçalves, o clube também teria lançado uma nota oficial duvidando das reivindicações do árbitro. A declaração, porém, não se encontra no site oficial do clube.

Leia o Boletim de Ocorrência:

Comparece nesta delegacia para comunicar que é vice-presidente do Clube Esportivo e que o Clube Esportivo está sendo difamado na imprensa pelo árbitro de futebol Márcio Chagas da Silva. Márcio relata que após a partida de futebol realizada entre as equipes do Esportivo e do Veranópolis, no estádio Montanha dos Vinhedos, foi supostamente ofendido por torcedores do Esportivo, os quais, segundo seu relato na imprensa e na internet, o chamaram de macaco, negro, e que teriam introduzido bananas no escapamento do seu veículo e ainda produziram danos na porta do mesmo. Refere o comunicante que o veículo de Márcio estava estacionado em área reservada e fechada com acesso exclusivo à arbitragem. Quanto às ofensas, salienta que não ouviu.

Leia a suposta nota de desagravo lançada pelo clube:

O Clube Esportivo vem a público desagravar as atitudes relatadas pelo árbitro Márcio Chagas da Silva, que no dia 05 de março de 2014 supostamente fora ofendido durante a partida ocorrida contra a equipe do Veranópolis Esporte Clube. De pronto, cumpre destacar que caso tenham ocorrido tais situações, o Esportivo não medirá esforços para encontrar os causadores de tais ofensas, porquanto em nenhuma hipótese o Clube ora notificante coaduna com tal situação, rechaçando de forma veemente quaisquer atitudes grosseiras e sem qualquer fundamento que não transparecem o pensamento da instituição.