icons.title signature.placeholder LANCE!Bizz
06/12/2013
19:45

A Pluri Consultoria divulgou nesta sexta-feira (6), logo após o sorteio dos grupos da Copa do Mundo, na Costa do Sauípe, um estudo sobre o valor de mercado de cada um dos atletas que desfilarão o seu talento durante a disputa da Copa do Mundo-2014.  Somados, todos os jogadores que compõem as 32 equipes participantes estão avaliados em R$ 18,1 bilhões. Somente a Seleção Brasileira, anfitriã da competição, tem um valor agregado avaliado em R$ 1,56 bilhão. A equipe pentacampeã é considerada a mais valiosa do Mundial.

Definidos os grupos de cada uma das 32 seleções participantes, a avaliação feita pelos técnicos da Pluri apontou quais as chaves que detém o maior valor de mercado. O primeiro colocado absoluto é o Grupo G, formado por Alemanha, Portugal, Gana e EUA. Jóias de suas respectivas seleções, craques como Cristiano Ronaldo, de Portugal, e Mario Gotze, da Alemanha, impulsionaram o valor da chave a estratosféricos R$ 2,8 bilhões.

Logo em seguida vem o Grupo A, que abriga Brasil, Croácia, Camarões e México. As quatros seleções juntas totalizam R$ 2,6 bilhões. De acordo ainda com o estudo da Pluri, a Seleção comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari representa R$ 1,56 bilhão, valor que ultrapassa à metade do valor global do grupo.

Fora do campo desportivo, Brasil e Espanha disputam um outro título: a da equipe que tem o maior valor médio por jogador. Cada jogador comandado pelo técnco Vicente del Bosque vale, em média, R$ 69,8 milhões. Pelo lado brasileiro, cada atleta está avaliado, em média, em R$ 70,5 milhões. Nesse quesito, a seleção da Costa Rica, considerada o patinho feio do Grupo D, é o país com jogadores de menor valor: cerca de R$ 2 milhões.

O grupo menos valioso, no entanto,  é o que reúne Colômbia, Costa do Marfim, Japão e Grécia. As quatro seleções tem um valor agregado de R$ 1,6 bilhão.

Um dado interessante analisado pelos pesquisadores refere-se à diferença entre a seleção mais valiosa de cada grupo e a de menor valor na chave. De acordo com a Pluri, o Grupo C revela-se o mais equilibrado nesse aspecto. A seleção colombiana vale apenas 3,7 vezes mais do que o time grego, lanterna da chave. Em contrapartida, o Grupo F apresenta o maior contraste: a seleção da Argentina, comandada por Lionel Messi, representa 21 vezes mais do que o valor de mercado da modesta seleção do Irã.