icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
23/11/2014
23:11

Para o matemático Tristão Garcia, a Série A do Campeonato Brasileiro não tem apenas um rebaixado, o Criciúma, que só pode chegar aos 37 pontos e não sai mais do Z4.  O Botafogo, que parou nos 33 pontos, e o Bahia, com 34, estão com 99% de risco de queda e só uma combinação pouco provável tiraria um dos dois times da situação de risco.

- O Botafogo eu considero um caso terminal. Se não tivesse arredondamento diria que estaria ali com 99,5%. E o Bahia também depende de milagres - disse Tristão.

Com isso, a tendência é de que Vitória e Palmeiras briguem cabeça a cabeça pela salvação. O Vitória tem apenas um ponto a menos do que o Verdão. Mas tem 64% de risco pois a tabela é bem ruim: pega o Flamengo (na Arena da Amazônia) e termina a sua participação recebendo o Santos.  O Palmeiras tem uma pedreira na próxima rodada, o Internacional, mas receberá o Atlético-PR em São Paulo e tem uma sequência final um pouco menos complicada e o seu risco é de 28%.  O que pesa a favor do Palmeiras é o fato de que o time paulista, no caso de um empate em pontos leva a melhor.

- Pode parecer pouco. Mas se pegarmos a média de pontos do Vitória jogando fora de casa, ela é igual a do Palmeiras. Em casa, também. E o Vitória precisa não de tirar um ponto. Tem de tirar dois pontos pois o Palmeiras tem uma vitória  a mais e leva isso para o desempate.

LEIA MAIS:
> Alex destaca carinho pelo Palmeiras em dia difícil: 'Devo muito a este clube'
> Chapecoense derrota o Botafogo, que respira por aparelhos na Série A

Quem deu uma boa respirada foi o Coritiba. O risco que o time paranaense tinha no fim da semana passada era grande. Mas os quatro pontos que obteve em cima de dois rivais diretos,  empatou com o Vitória e venceu o Palmeiras, deixam o time com risco de queda de apenas 9%.  A Chapecoense, que conseguiu seis pontos nas duas últimas rodadas, sendo que três deles diante de um adversário direto, o Botafogo, praticamente está a salvo um pequeno risco de 1%.  

> Risco de rebaixamento:

Criciúma - 100% (rebaixado)

Botafogo - 99%

Bahia - 99%

Vitória - 64%

Palmeiras - 28%

Coritiba - 9%

Chapecoense - 1%