icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
21/08/2015
11:52

Francisco Trinaldo ficou mais conhecido no mundo das lutas depois de participar da primeira edição do The Ultimate Fighter Brasil. Além do apelido "Massaranduba", o jeito pacato e as pérolas eternizadas a cada episódio o tornaram popular no país. Tudo isso em contraste com a agressividade dentro do octógono. Escalado para enfrentar Chad Laprise no UFC Canadá, que acontece neste domingo, o brasileiro falou ao LANCE! sobre a expectativa para o combate, avaliou suas dez primeiras lutas no evento e deu uma declaração curiosa sobre um assunto recorrente que tem sido o uso de uniformes por parte dos lutadores do Ultimate após o acordo da franquia com a Reebok.

Perguntado sobre o que achou do uniforme que terá de usar durante a semana e na luta deste domingo, Massaranduba esbanjou sinceridade, disse não ligar para a imposição do uso e foi direto. 

- Rapaz, não olho muito para essas coisas, né? O que está na minha cabeça é só a minha luta. Com uniforme ou sem uniforme, não me importa, não ligo. Se for o caso, luto até pelado. Eu lutaria. Eu quero é ser campeão e vencer as minhas lutas. Não ligo para esse negócio de uniforme, não - declarou o peso leve, em conversa por telefone com o L!.

Trinaldo também deu sua opinião a respeito do combate ao doping, que assim como o acordo com a Reebok foi iniciado a partir de julho com exames aleatórios e novas medidas contra o uso de substâncias ilegais.

- Eu não gosto de criticar ninguém. A pessoa faz o que quer. Eu faço meu trabalho todo, treino duro e não preciso de nada. Se eu não aguentar lutar, eu não vou lutar. Quem está acostumado a treinar duro, pegar pesado sempre, não precisa usar nada - avaliou. 

Confira um bate-papo com Francisco Massaranduba
Será a sua segunda luta fora do Brasil. Na primeira, você perdeu. E agora ainda vai enfrentar o dono da casa. O que pretende fazer para vencer a primeira?
Acho que não vou me abater com torcida, não. Vou fazer minha luta, vou encaixar meu jogo e vou lá para lutar. Acho que na primeira vez não encaixei meu jogo naquela derrota e acho que agora ele vai fluir. Vou fazer o MMA, meu jogo, preparado e treinado. Vou fazer o que faço todo dia na academia.

Massaranduba venceu Norman Parke em sua ultima luta (FOTO: William Lucas/Inovafoto)

Como você avalia seu adversário e suas primeiras dez lutas no UFC?
Na minha cabeça, vamos fazer a parte de trocação, em pé. Estou pronto para isso, mas se for pro chão vou passar por cima, sei da minha capacidade. Mas quero acabar logo. Na minha cabeça a cada luta evoluo mais. Tenho ceretza de que nessa luta estou pronto para mostrar o quanto estou evoluindo e quero fazer a melhor luta da minha carreira, mostrar que tenho capacidade de lutar muito mais e quero mostrar toda a minha agressividade nessa luta. Quero terminar na parte de cima.

Se você vencer, será sua quarta vitória consecutiva...
Eu vou vencer! Já está escrito! Na minha cabeça não tenho dúvidas, são quatro vitórias, não é à toa que estou aqui. Não tem dúvida na minha cabeça.

...e o que você vê no seu futuro no UFC?
Tenho muita coisa ainda para mostrar. Penso que tenho disposição para treinar e lutar e tenho muita coisa para mostrar. Vou fazer uma das melhores lutas da minha carreira, estou bem preparado. Minha evolução está a cada dia maior.

Francisco Trinaldo ficou mais conhecido no mundo das lutas depois de participar da primeira edição do The Ultimate Fighter Brasil. Além do apelido "Massaranduba", o jeito pacato e as pérolas eternizadas a cada episódio o tornaram popular no país. Tudo isso em contraste com a agressividade dentro do octógono. Escalado para enfrentar Chad Laprise no UFC Canadá, que acontece neste domingo, o brasileiro falou ao LANCE! sobre a expectativa para o combate, avaliou suas dez primeiras lutas no evento e deu uma declaração curiosa sobre um assunto recorrente que tem sido o uso de uniformes por parte dos lutadores do Ultimate após o acordo da franquia com a Reebok.

Perguntado sobre o que achou do uniforme que terá de usar durante a semana e na luta deste domingo, Massaranduba esbanjou sinceridade, disse não ligar para a imposição do uso e foi direto. 

- Rapaz, não olho muito para essas coisas, né? O que está na minha cabeça é só a minha luta. Com uniforme ou sem uniforme, não me importa, não ligo. Se for o caso, luto até pelado. Eu lutaria. Eu quero é ser campeão e vencer as minhas lutas. Não ligo para esse negócio de uniforme, não - declarou o peso leve, em conversa por telefone com o L!.

Trinaldo também deu sua opinião a respeito do combate ao doping, que assim como o acordo com a Reebok foi iniciado a partir de julho com exames aleatórios e novas medidas contra o uso de substâncias ilegais.

- Eu não gosto de criticar ninguém. A pessoa faz o que quer. Eu faço meu trabalho todo, treino duro e não preciso de nada. Se eu não aguentar lutar, eu não vou lutar. Quem está acostumado a treinar duro, pegar pesado sempre, não precisa usar nada - avaliou. 

Confira um bate-papo com Francisco Massaranduba
Será a sua segunda luta fora do Brasil. Na primeira, você perdeu. E agora ainda vai enfrentar o dono da casa. O que pretende fazer para vencer a primeira?
Acho que não vou me abater com torcida, não. Vou fazer minha luta, vou encaixar meu jogo e vou lá para lutar. Acho que na primeira vez não encaixei meu jogo naquela derrota e acho que agora ele vai fluir. Vou fazer o MMA, meu jogo, preparado e treinado. Vou fazer o que faço todo dia na academia.

Massaranduba venceu Norman Parke em sua ultima luta (FOTO: William Lucas/Inovafoto)

Como você avalia seu adversário e suas primeiras dez lutas no UFC?
Na minha cabeça, vamos fazer a parte de trocação, em pé. Estou pronto para isso, mas se for pro chão vou passar por cima, sei da minha capacidade. Mas quero acabar logo. Na minha cabeça a cada luta evoluo mais. Tenho ceretza de que nessa luta estou pronto para mostrar o quanto estou evoluindo e quero fazer a melhor luta da minha carreira, mostrar que tenho capacidade de lutar muito mais e quero mostrar toda a minha agressividade nessa luta. Quero terminar na parte de cima.

Se você vencer, será sua quarta vitória consecutiva...
Eu vou vencer! Já está escrito! Na minha cabeça não tenho dúvidas, são quatro vitórias, não é à toa que estou aqui. Não tem dúvida na minha cabeça.

...e o que você vê no seu futuro no UFC?
Tenho muita coisa ainda para mostrar. Penso que tenho disposição para treinar e lutar e tenho muita coisa para mostrar. Vou fazer uma das melhores lutas da minha carreira, estou bem preparado. Minha evolução está a cada dia maior.