icons.title signature.placeholder Daniel Guimarães
18/03/2014
09:07



Martin Silva viveu um drama pessoal nos últimos dias – por conta de um problema no nascimento de sua filha –, mas nem por isso mostrou fraqueza dentro de campo. O goleiro teve uma de suas melhores atuações desde que chegou ao Vasco, no jogo do último domingo, diante do Fluminense, e mostrou que seus milagres não acontecem apenas contra as equipes de menor investimento. Prova disso, é que já havia feito bons jogos nos clássicos contra Botafogo e Flamengo, no mês passado.

E MAIS
> Com discurso de renovação, Monteiro lança candidatura no Vasco
> Reunião não define data da eleição e cobra comissão de sindicância do Vasco

Quando defendeu o Olimpia (PAR), entre 2011 e 2013, ganhou o apelido de Super Martin, que fazia alusão ao Super-Homem. Além de cantar uma música especial para o goleiro, relacionando-o com o super-herói, a torcida do time paraguaio criou montagens com o rosto de Martin Silva vestido com a roupa do personagem Clark Kent.

Apesar da relação com o Super-Homem, as defesas realizadas diante do Fluminense, como no chute do volante Valencia e na cabeçada a queima-roupa do atacante Fred, fizeram lembrar outro personagem do mundo das histórias: o Homem Elástico. O técnico Adilson Batista exaltou a atuação de seu camisa 1.


Goleiro foi o melhor jogador do clássico contra o Flu (Foto: Ricardo Ramos/ LANCE!Press)

– É o que falamos no início. O Martin (Silva), mesmo um tempo inativo, entra com experiência, qualidade no posicionamento e frieza. Ele fez defesas importantes e, mesmo sem ter trabalhado esses dias, a nossa preocupação era com o bem-estar da filha dele. Ele foi fundamental.

Por conta da infecção no pulmão da pequena Pilar, que teve uma melhora e já se recupera, o goleiro ficou afastado do clube por mais de uma semana e só fez um treino antes do clássico, na véspera. Por isso, apesar de ainda não ter adotado o apelido de super-herói para Martin Silva, o vascaíno sabe que quando precisar, poderá contar com o seus milagres.

Com a palavra
Cesar Agüero
Repórter setorista do Olimpia pelo jornal ABC Color, do Paraguai

A relação da torcida do Olimpia com o Martin Silva é muito especial. O clube não tinha um bom goleiro há algum tempo e, quando ele chegou, teve ótimas atuações. Por isso, rapidamente, virou o Super Martin para a torcida.

Ele é uma pessoa reservada e se fortalecia com o canto da torcida, principalmente nos momentos difíceis. Era um grande líder.