icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
12/11/2014
11:43

A chance de superar o maior rival , o "vizinho chato", em uma final de competição nacional é uma coisa não deixa ninguém indiferente. Marcelo Moreno não foge à regra quando o assunto é o jogo do Cruzeiro contra o Galo, na decisão da Copa do Brasil, que começa nesta quarta-feira, no Independência. O jogador está ciente que estará em campo em jogos que ficarão marcados, classificados por ele mesmo como "uma final dos sonhos", trazendo a reboque uma responsabilidade imensa.

Neste bate-papo com o LANCE!Net, ele admitiu ter ficado impressionado com as viradas do Atlético-MG, mas espera acabar com a sequência de "eu acredito" do lado alvinegro de Minas Gerais.

A final da Copa do Brasil vai ser os maiores confrontos da história do clássico?

Se o Cruzeiro for campeão, sim (risos). Acho que a ideia é, mais ou menos, essa. O vencedor vai se orgulhar dessa final para sempre e quem perder vai querer esquecer rápido. Os dois times tiveram chance de, no passado, fazer uma final desse tipo, mas um deles ou os dois sempre acabavam tropeçando na semifinal. Se olharmos por esse lado, concordo também que agora é o grande clássico da história. Cruzeiro e Atlético já fizeram duelos inesquecíveis por essas décadas todas, mas decidir um título nacional é a primeira vez. Espero que sejam 180 minutos que deixem o país todo satisfeito com o futebol que as equipes vão apresentar. É uma final dos sonhos, podemos nos tornar o maior campeão da Copa do Brasil e batendo o maior rival na decisão. Para mim, se ganharmos, será o melhor clássico da minha vida.

Sinceramente, o grupo queria pegar o Atlético na final?

A gente quer é ser campeão. Lógico que sabíamos dessa possibilidade de pegar o Atlético, mas estávamos mais preocupados em conseguir chegar nessa decisão. Estamos com um calendário muito apertado, assim como todos os times, mas com a diferença de nos desdobrarmos muito para manter a liderança do Campeonato Brasileiro e tentar esse título da Copa do Brasil também. Todos nossos jogos são muito difíceis, o adversário entra muito motivado a tentar nos anular e isso exige muita superação da gente. Por isso, pelo menos para mim, a cabeça estava voltada para tentar eliminar o time do Santos, que foi um adversário muito difícil. Quando acabou o jogo, ficamos sabendo que seria o Atlético. Acho que pra ser campeão é válido, inclusive ser um rival. É uma chance de fechar a competição com chave de ouro.

Por ser contra o Atlético, o título da Copa do Brasil ficou mais importante que o Brasileirão?

Acredito que não. Ser campeão brasileiro não é nada fácil, até por ser um dos campeonatos mais difíceis do mundo. E esse momento que o Cruzeiro está vivendo, tendo ganhado no ano passado e liderando neste ano desde a sexta rodada, é algo especial. Seria uma tristeza muito grande para nós e para a torcida tropeçarmos nessa reta final e jogarmos fora uma trajetória muito bonita que construímos ao longo dos meses. Esse fato de a final da Copa do Brasil ser contra o Atlético é algo muito importante, claro, mas não pode fazer a gente optar por um dos dois títulos. Agora, temos uma responsabilidade de buscar as duas conquistas. Se por acaso, não for possível ganhar tudo, temos que sair com a certeza que demos tudo de nós. Mas, neste momento, não temos mais como escolher qual competição vale mais.

Os cruzeirenses chegaram a se impressionar com essa capacidade de virada do Galo?

Acho que impressionou todo mundo né? Mas é algo que o time deles tem mostrado desde o ano passado, na Libertadores. É uma qualidade deles, porque sabemos como é difícil reverter esses placares de 2x0, principalmente com o critério de gol fora de casa. Não são resultados comuns e o time do Atlético tem os méritos de conseguir as classificações. Porém, acredito que a torcida do Cruzeiro está muito confiante na nossa capacidade e que podemos ser o time a acabar com essa sequência. Precisamos estar 100% atentos nos dois jogos, mas temos totais condições de vencer essa competição tão importante.