icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/07/2013
22:22

Em meio à crise do São Paulo, Luis Fabiano esteve perto de deixar o Morumbi, passou por turbulência com a diretoria e, agora, lamenta a má fase do clube. Nesta terça-feira, em entrevista coletiva, ele admitiu que foi mais feliz no Sevilla (ESP) e rejeitou o rótulo de pipoqueiro – insulto que ouviu na derrota por 3 a 0 para o Cruzeiro, no sábado, no Morumbi.

– Está claro que eu fui muito mais feliz no Sevilla e ganhei muitos mais títulos no Sevilla que no São Paulo. Isso é real. Não preciso fazer mais nada. Sinceramente tenho, sim, que me doar pelo São Paulo. Amo o São Paulo, mas minha carreira está quase terminando, tenho 32 anos. Sempre entrar em campo com esse peso às vezes é difícil. Se o time ganhar e eu não fizer gol vão me chamar de pipoqueiro? Eu não sei. Agora, quando não ganha e eu não faço gol, eu sou ruim – lamentou o camisa 9, em relação ao sucesso que teve na Espanha.

Titular nesta quarta contra o Internacional, Luis Fabiano foi sacado durante a última derrota pelo técnico Paulo Autuori, e ouviu protestos por parte das arquibancadas. Hoje, ele lamenta que não tenha conseguido desempenhar o papel esperado desde o retorno, em março de 2011.

– Infelizmente, no São Paulo as coisas não aconteceram da forma que eu gostaria. Mas é impossível que eu tenha 173 gols em jogos só contra o Mogi Mirim, com todo o respeito. Eu entro em campo sempre com olhares de toda a imprensa e toda o torcedor: “Ele precisa fazer, ele precisa fazer” – acrescentou.

O camisa 9 ainda disse que não está na condição física que desejava. Em campo, ele muitas vezes é visto parado no ataque, sem mobilidade e ajudando pouco na defesa.

– Quando eu estou me sentindo bem fisicamente, as coisas melhoram. Tenho mais explosão e me sinto melhor. Não estou nesse ponto ainda, mas não muito abaixo. Acho que estou 95%. Com os jogos seguidos, espero que volte a estar 100% fisicamente – afirmou o atacante, que diz que o planejamento do clube é somar 4 pontos nos próximos dois jogos.

 


Em meio à crise do São Paulo, Luis Fabiano esteve perto de deixar o Morumbi, passou por turbulência com a diretoria e, agora, lamenta a má fase do clube. Nesta terça-feira, em entrevista coletiva, ele admitiu que foi mais feliz no Sevilla (ESP) e rejeitou o rótulo de pipoqueiro – insulto que ouviu na derrota por 3 a 0 para o Cruzeiro, no sábado, no Morumbi.

– Está claro que eu fui muito mais feliz no Sevilla e ganhei muitos mais títulos no Sevilla que no São Paulo. Isso é real. Não preciso fazer mais nada. Sinceramente tenho, sim, que me doar pelo São Paulo. Amo o São Paulo, mas minha carreira está quase terminando, tenho 32 anos. Sempre entrar em campo com esse peso às vezes é difícil. Se o time ganhar e eu não fizer gol vão me chamar de pipoqueiro? Eu não sei. Agora, quando não ganha e eu não faço gol, eu sou ruim – lamentou o camisa 9, em relação ao sucesso que teve na Espanha.

Titular nesta quarta contra o Internacional, Luis Fabiano foi sacado durante a última derrota pelo técnico Paulo Autuori, e ouviu protestos por parte das arquibancadas. Hoje, ele lamenta que não tenha conseguido desempenhar o papel esperado desde o retorno, em março de 2011.

– Infelizmente, no São Paulo as coisas não aconteceram da forma que eu gostaria. Mas é impossível que eu tenha 173 gols em jogos só contra o Mogi Mirim, com todo o respeito. Eu entro em campo sempre com olhares de toda a imprensa e toda o torcedor: “Ele precisa fazer, ele precisa fazer” – acrescentou.

O camisa 9 ainda disse que não está na condição física que desejava. Em campo, ele muitas vezes é visto parado no ataque, sem mobilidade e ajudando pouco na defesa.

– Quando eu estou me sentindo bem fisicamente, as coisas melhoram. Tenho mais explosão e me sinto melhor. Não estou nesse ponto ainda, mas não muito abaixo. Acho que estou 95%. Com os jogos seguidos, espero que volte a estar 100% fisicamente – afirmou o atacante, que diz que o planejamento do clube é somar 4 pontos nos próximos dois jogos.