icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/11/2013
08:17

Havia uma certa dúvida se o técnico Cuca iria permanecer no Atlético-MG em 2014. Mas o mistério foi resolvido na madrugada de quinta-feira, pelo presidente Alexandre Kalil, e o casamento de ótimos frutos entre treinador e Galo ganhou mais um ano de prazo. No Alvinegro, Cuca encontrou seu caminho e, o antes técnico azarão tirou o azar da própria equipe.

Com o bom número de 60% de aproveitamento em quase 150 jogos no banco de reservas, o treinador destacou sua identificação com o clube no qual trabalha.

- Minha história é igual a do Atlético, sofrida, não ganha, na 'hora H' vai morrer na praia, quebramos tudo isso, se tivesse um lugar para ganhar, seria aqui, agradeço.

Mas a conquista da Libertadores (e, consequentemente, a chance de ser campeão mundial) não foi algo que deixa Cuca parado. Pelo menos o treinador adotou um discurso de gana e perseguição de novas conquistas em 2014.

- Agora é trabalhar para ter outras conquista, não dá para ficar em cima desta, tem de ter outras e no final do ano agora temos mais uma chance (Marrocos) - afirmou.

Cuca, quando sair do Atlético-MG, deixará seu nome cravado na História centenária do Galo. Estará ao lado de nomes como Telê Santana, Barbatana e Procópio Cardoso, técnicos com maior número de partidas pelo Alvinegro, sendo que o atual é quem detém o título mais importante: campeão continental.