icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
26/07/2013
14:18

Mesmo machucado, Lucas Prado brilhou nesta sexta-feira no Mundial de Atletismo Paralímpico, em Lyon (FRA). Ele conquistou a medalha de ouro nos 100m, categoria T11 (para deficientes visuais). É a segunda conquista dele na competição, após ter levado a prova dos 200m.

O brasileiro cruzou a linha de chegada em 11s45. A segunda colocação foi também do compatriota Felipe Gomes, com 11s68, e Ananias Shikongo, da Namíbia, foi o terceiro, com 11s85.

- Estou de volta depois de uma doce amarga perda. Vim preparado. Tinha me machucado (sofreu uma lesão muscular na parte posterior da coxa direita) na semifinal (na quinta-feira) e vieram algumas lembranças - afirmou o corredor.

- Tomei anti-inflamatório e dois comprimidos antes da prova. Estava sentindo - disse.
Prado lembro dos problemas que teve durante a Olimpíada de 2012, em Londres (ING). Na ocasião, ele sentiu uma lesão e ficou com a medalha de prata nos 100m.

O brasileiro fez questão de agradecer seu técnico: Amauri Veríssimo.

- Tenho uma equipe de ouro, meu treinador e meu guia. Vou colocar essa medalha no meu técnico - declarou Prado.

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

Mesmo machucado, Lucas Prado brilhou nesta sexta-feira no Mundial de Atletismo Paralímpico, em Lyon (FRA). Ele conquistou a medalha de ouro nos 100m, categoria T11 (para deficientes visuais). É a segunda conquista dele na competição, após ter levado a prova dos 200m.

O brasileiro cruzou a linha de chegada em 11s45. A segunda colocação foi também do compatriota Felipe Gomes, com 11s68, e Ananias Shikongo, da Namíbia, foi o terceiro, com 11s85.

- Estou de volta depois de uma doce amarga perda. Vim preparado. Tinha me machucado (sofreu uma lesão muscular na parte posterior da coxa direita) na semifinal (na quinta-feira) e vieram algumas lembranças - afirmou o corredor.

- Tomei anti-inflamatório e dois comprimidos antes da prova. Estava sentindo - disse.
Prado lembro dos problemas que teve durante a Olimpíada de 2012, em Londres (ING). Na ocasião, ele sentiu uma lesão e ficou com a medalha de prata nos 100m.

O brasileiro fez questão de agradecer seu técnico: Amauri Veríssimo.

- Tenho uma equipe de ouro, meu treinador e meu guia. Vou colocar essa medalha no meu técnico - declarou Prado.

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro