icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
25/06/2014
08:30

Em 2007, o São Paulo organizou excursão para Índia com jogadores encostados no elenco e viu Jean e Hernanes se destacarem para chamar a atenção de Muricy Ramalho. Sete anos depois, um roteiro semelhante tem colocado Lucas Evangelista em evidência.

– Ter Hernanes e Jean como espelho me dá mais confiança para trabalhar. Não sabia que eles passaram por isso – afirmou o garoto de 19 anos ao LANCE!.

A diferença de Evangelista para a dupla campeã brasileira em 2008 é que o camisa 20 do atual elenco ganhou espaço com Muricy já no elenco principal. No período de treinos nos Estados Unidos, é ele quem recebe mais elogios e é chamado de Luquinha pelo técnico.

– Não conquistei a confiança dele ainda não. Às vezes chama de Luquinha, mas quando está bravo é só ‘moleque’ (risos). É normal, é o jeito dele trabalhar e pela carreira vitoriosa dele temos que respeitar e absorver o máximo do que ele passa – destacou o jovem.

Logo nos primeiros dias do Tricolor em Orlando, Lucas Evangelista ganhou a lateral esquerda de Reinaldo na vaga deixada por Alvaro Pereira, que disputa a Copa do Mundo com a seleção do Uruguai. A estreia na posição aconteceu no amistoso da última sexta com o Orlando City.

Em 2005, quando foi lançado por Paulo Autuori, Hernanes também foi deslocado para a lateral, mas não engrenou. Dois anos depois, voltou ao elenco para ser volante e conquistou o bicampeonato brasileiro antes de ir à Itália e à Seleção Brasileira.

Após ouvir a história de superação de Hernanes, no entanto, Evangelista elegeou o Profeta como maior espelho para se firmar no Tricolor.

– Sempre fui fã da pessoa que é, inteligente. Trabalho para melhorar chutes e ser ambidestro, mas ele nasceu com esse dom. Ele me inspira muito por estar onde está, disputar Copa do Mundo – destacou.