icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
01/04/2014
09:04

Aos 29 anos de idade, Cícero vive o melhor momento de sua carreira e, novamente na decisão do Campeonato Paulista, se aproxima de seu primeiro título com a camisa do Santos. Se a conquista vier, terá um sabor ainda mais especial para o jogador, que pode levantar pela primeira vez na carreira uma taça como capitão.

Para ajudar o volante na inédita experiência, o LANCE!Net pediu para que Paulo Almeida, capitão do Peixe no título brasileiro de 2002, desse algumas dicas ao camisa 8. Humilde, o volante evitou conselhos e preferiu fazer elogios a Cícero.

– Ele parece ser um cara bem tranquilo, mas vemos todo mundo falando no time, não só ele. Com certeza a tarja está em boas mãos – afirmou o jogador do Mixto-MT.

Paulo até tem razão quando diz que Cícero é uma pessoa tranquila, mas os companheiros do volante e meia santista relatam um outro lado do capitão do Peixe. Dentro de campo, ele costuma falar o tempo todo, orienta, pede a bola com frequência e gosta de motivar os mais novos. Desde a lesão de Edu Dracena, ele assumiu a braçadeira e passou a fazer discursos motivacionais antes da partidas. Os demais atletas têm aprovado o desempenho do camisa 8 nessa função.

– Capitão é isso, tem que ter essa regularidade, essa frieza. Ele é do bem, fala o que tem que ser falado, o que é melhor, não cobra a mais nem a menos, fala para melhorar, e para nós isso é muito produtivo. Ele não fala para se expor como capitão, e sim para melhorar a equipe – comentou o zagueiro Neto, de 28 anos de idade, um dos mais velhos do Santos.

Cícero, contudo, minimiza o papel dele como capitão. Na última semana, o LANCE!Net pediu uma entrevista com o jogador sobre o assunto, mas ele recusou usando o argumento de que todos no elenco são iguais e ele não quer parecer mais importante que os demais por usar a tarja.

A festa tem tudo para ficar ainda mais completa para Cícero. Com a eliminação do Palmeiras no Paulistão, ele tem o caminho livre para assumir a artilharia do torneio nos dois jogos decisivos contra o Ituano. Goleador do Peixe no ano, com oito bolas na rede em 14 jogos, ele está a apenas um gol de Alan Kardec, Luis Fabiano e Léo Costa (Rio Claro), líderes do ranking.

Poupado nesta quarta-feira, na Copa do Brasil, Cícero não encontrará Paulo Almeida, mas, à distância, o ex-capitão santista mandou o recado:

– Estou torcendo muito e tenho certeza que você levantará a taça!