icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
31/07/2013
06:45

Marcelo Chierighini e Joanna Maranhão precisaram de uma dose extra de sorte para avançarem às semifinais do Mundial de Esportes Aquáticos, na manhã desta quarta-feira, em Barcelona. Os dois não tiveram grandes performances, mas se classificaram nos 100m livre masculino e nos 200m borboleta feminino, respectivamente.

Marcelo foi o primeiro a cair na água. Ele completou os 100m livre em 49s08, bem distante dos 48s11 que tem como melhor marca da temporada. O brasileiro, contudo, ficou com a 15ª melhor posição no geral, entre 16 que avançavam.

- Não gostei do meu tempo. Mas, como falei antes, eu nado meio preso pela manhã. Estou aliviado que peguei a semifinal. Agora tenho de ajustar os detalhes para ir à final. De manhã, senti muito o final da prova, a perna principalmente. Agora, é outra prova - constatou o brasileiro.

A melhor marca dos 100m foi feita pelo australiano James Magnussen. Ele estabeleceu 47s71 - quase um segundo à frente do segundo colocado, o polonês Konrad Czerniak, que fez 48s50.

Já Joanna Maranhão teve uma margem ainda menor do que o compatriota. Ela ficou exatamente na 16ª posição nas eliminatórias dos 200m borboleta, com o tempo de 2m11s14.

Joanna já havia ficado nas eliminatórias dos 200m medley feminino, mas conseguiu evitar o mesmo nos 200m borboleta. A líder das eliminatórias desta prova foi a espanhola Mireia Belmonte Garcia, com 2m07s21.

Marcelo Chierighini e Joanna Maranhão precisaram de uma dose extra de sorte para avançarem às semifinais do Mundial de Esportes Aquáticos, na manhã desta quarta-feira, em Barcelona. Os dois não tiveram grandes performances, mas se classificaram nos 100m livre masculino e nos 200m borboleta feminino, respectivamente.

Marcelo foi o primeiro a cair na água. Ele completou os 100m livre em 49s08, bem distante dos 48s11 que tem como melhor marca da temporada. O brasileiro, contudo, ficou com a 15ª melhor posição no geral, entre 16 que avançavam.

- Não gostei do meu tempo. Mas, como falei antes, eu nado meio preso pela manhã. Estou aliviado que peguei a semifinal. Agora tenho de ajustar os detalhes para ir à final. De manhã, senti muito o final da prova, a perna principalmente. Agora, é outra prova - constatou o brasileiro.

A melhor marca dos 100m foi feita pelo australiano James Magnussen. Ele estabeleceu 47s71 - quase um segundo à frente do segundo colocado, o polonês Konrad Czerniak, que fez 48s50.

Já Joanna Maranhão teve uma margem ainda menor do que o compatriota. Ela ficou exatamente na 16ª posição nas eliminatórias dos 200m borboleta, com o tempo de 2m11s14.

Joanna já havia ficado nas eliminatórias dos 200m medley feminino, mas conseguiu evitar o mesmo nos 200m borboleta. A líder das eliminatórias desta prova foi a espanhola Mireia Belmonte Garcia, com 2m07s21.