icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/04/2014
19:50

A Portuguesa entrou em campo nesta sexta-feira, na Arena Joinville, em Joinville, para fazer sua estreia na Série B do Campeonato Brasileiro deste ano contra o time da casa. No entanto, a partida começou enquanto uma liminar de um torcedor, referente aos pontos perdidos pela Lusa no ano passado, estava de pé. Com isso, o documento, entregue ao delegado da partida, fez com que o time paulista saísse de campo.

Aos 17 minutos do primeiro tempo, o jogo foi encerrado após o oficial chegar com o documento. Nenhum gol havia sido marcado até então.

A liminar, favorável à Portuguesa, foi obtida em ação movida pelo torcedor Renato de Britto de Azevedo e omitida pela 3ª Vara Cível de São Paulo. Ela obriga a devolução dos pontos perdidos pela Lusa no Campeonato Brasileiro do ano passado, pela escalação irregular do meia Héverton, o que, temporariamente, recoloca o clube na Série A. Veja o documento a seguir:

Na saída para os vestiários, o técnico Argel, da Portuguesa, negou que a decisão de deixar o gramado tenha sido da Lusa e afirmou que Laudir Zermiani, delegado da partida, foi quem mandou o duelo ser interrompido.

- O delegado da partida que parou o jogo. Ele que tem que falar, não nos - afirmou o treinador.

Zermiani, por sua vez, disse que a Lusa era favorável à interrupção.

- Não foi cassada a liminar. A Portuguesa quer que pare o jogo - declarou.

O documento chegou a fazer com que a Portuguesa pedisse o adiamento da partida, mas a sugestão não foi acatada pela CBF.