icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
30/11/2014
19:14

Motivação: do latim motivus, movere, que significa deslocar-se. É força, impulso que o Botafogo procurava levar para a Vila Belmiro, neste domingo, após ganhar uma sobrevida na Série A do Campeonato Brasileiro proporcionada pelas derrotas de Palmeiras e Vitória no sábado. Desinteresse: indiferença, desprovido de sentimentos e propósitos. Um estado de mera negligência exibida pelo Santos no torneio desde a eliminação na Copa do do Brasil. Em meio a sensações totalmente dicotômicas, prevaleceu, no fim, a renúncia santista, que, ao acabar com o jejum de nove partidas sem vitórias, determinou o segundo rebaixamento na História do Botafogo em um período de 12 anos.

O 2 a 0 cravado justamente por Leandro Damião ainda soa com requintes de crueldade. A ida para a Segunda Divisão é determinada pelo jogador que, talvez, tenha apresentado o maior fiasco recente do futebol brasileiro em relação ao custo-benefício. Damião pode terminar a torneio de 38 rodadas com míseros seis gols e um drible desconcertante sobre Dankler no penúltimo suspiro do Alvinegro na Primeira Divisão.

A definição do rebaixamento nos 45 minutos finais embalada pelo atacante santista, na verdade, era apenas uma questão de tempo. O Botafogo, que viu dois de seus jogadores discutindo durante a primeira etapa, tentou resistir às investidas do adversário e, em momento, algum ameaçou Aranha. O time que precisava de uma vitória esbarrou nas limitações técnicas do conjunto, e, principalmente, do trio formado por Ronny, Yuri Mamute e Bruno.

Passar pela linha do meio de campo sem errar um passe se configurava em uma tarefa quase impossível para os jogadores de frente do Alvinegro. O Santos, mesmo apático, teve chances de fazer um placar dilatado, mas parou em Jefferson ou na trave. De positivo, alguns lampejos de Gabriel e a saída rápida pelas laterais com os jovens Daniel Guedes e Caju.

Mais do que os três pontos, o 2 a 0 ainda evitou que o Peixe igualasse os piores desempenhos da equipe como mandante desde 2003. Triunfo que, de certa forma, deixa o time menos pressionado por causa do jejum para encarar o desesperado Vitória, no próximo domingo, no Barradão.
Já ao Botafogo, agora, resta cumprir tabela na próxima semana contra o Atlético-MG diante da torcida e se reinventar dentro e fora de campo para a Série B.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 0 BOTAFOGO

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 30 de novembro de 2014, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Fabio Pereira (TO) e Marrubson Melo Freitas (DF)
Cartões Amarelos: Júnior César (Botafogo)

GOLS: Leandro Damião, 3'/2T (1-0) e 44'/2T (2-0)

SANTOS: Aranha, Daniel Guedes, David Braz, Edu Dracena e Caju; Alison, Renato, Lucas Lima; Gabriel (Serginho 36'/2°T), Thiago Ribeiro (Diego Cardoso 28'/2°T) e Robinho (Leandro Damião - Intervalo). Técnico: Enderson Moreira.

BOTAFOGO: Jefferson, Regis, Dankler, André Bahia e Junior César; Airton, Gabriel, Andreazzi (Murilo 5'/2°T) e Ronny (Gegê 11'/2°T), Bruno Correa (Maikon - Intervalo) e Yuri Mamute. Técnico: Vagner Mancini.