icons.title signature.placeholder Guilherme Borini
23/06/2014
16:04

Os maus resultados nos dos primeiros jogos da Copa do Mundo e a iminente eliminação na fase de grupos mudaram o clima da seleção de Portugal. E não poderia ser diferente. O que antes era badalação e até favoritismo, sobretudo por conta da presença do melhor jogador do mundo Cristiano Ronaldo e de uma invencibilidade de 12 jogos antes do Mundial, mudou para desconfiança após a goleada sofrida para a Alemanha, por 4 a 0, e o empate por 2 a 2 contra os Estados Unidos.

O empate no último minuto de jogo diante dos americanos salvou os portugueses de um vexame ainda maior, mas a equipe ainda depende de uma combinação de resultados na última rodada para conseguir um milagre. Na volta da delegação de Manaus, local do jogo do último domingo, o treino que estava marcado para esta segunda-feira foi cancelado, sem justificativas da Federação Portuguesa. O único jogador que não teve folga foi o lateral-direito João Pereira, escalado para a entrevista coletiva.

Abatido, o jogador português assumiu a culpa pelos maus resultados para todo o elenco e garantiu que nenhum atleta vai se esconder caso a eliminação na primeira fase seja confirmada.

- Os culpados somos nós, jogadores. Nós que entramos em campo, nós que jogamos e nós que tomamos as decisões. Aconteça o que acontecer na quinta-feira, não vamos nos esconder – garantiu o atleta, em entrevista coletiva no CT da Ponte Preta, em Campinas.

Mesmo diante das dificuldades, João Pereira prometeu lutar até o último minuto para tentar um milagre e avançar às oitavas de final.

- Enquanto for matematicamente possível temos de acreditar. Sabemos que precisamos de uma combinação de resultados e que não é fácil. É quase um milagre, mas temos que nos agarrar ao fio de esperança que temos para continuar a trabalhar nesses três dias que faltam para o último jogo – completou.

Até mesmo a sempre concorrida entrevista coletiva com os jogadores portugueses no CT da Ponte Preta estava diferente nesta segunda-feira. Havia apenas cerca de 25 jornalistas, metade do que normalmente vinha comparecendo. E o tempo da entrevista, que era de no mínimo meia hora e chegou até a 45 minutos, foi de 12 minutos, com poucas perguntas e respostas curtas.

Após o cancelamento do treino desta segunda-feira, os jogadores portugueses voltam a realizar um trabalho nesta terça-feira, às 11h, no CT da Macaca. A viagem para Brasília, onde enfrentam Gana, também está marcada para esta terça, às 19h. Na quarta-feira, está agendado o treino de reconhecimento de gramado e, na quinta-feira, às 13h, a partida no Mané Garrincha.

Para conseguir a classificação para as oitavas de final, Portugal precisa obrigatoriamente vencer Gana e torcer para que haja um vencedor entre Estados Unidos e Alemanha – de preferência os alemães. Os portugueses somam apenas um ponto, três a menos que alemães e americanos. O máximo que conseguiria era empatar nos pontos, mas precisa tirar a diferença do saldo de gols. Atualmente, Portugal tem quatro negativos, contra um positivo dos EUA e quatro positivos da Alemanha. Ou seja, o mais provável seria alcançar os americanos em um cenário como: derrota dos EUA por 2 a 0 e vitória de Portugal por 3 a 0.