icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
27/11/2014
01:20

Seis anos depois de assumir a presidência do clube, Alexandre Kalil deixará o Atlético-MG pelas portas da frente. Em sua primeira entrevista como campeão da Copa do Brasil, o mandatário fugiu do lugar comum, evitou as famosas provocações ao Cruzeiro e se resumiu em parabenizar o grupo alvinegro e pedir paz entre as torcidas.

- Eu estou muito emocionado, esse é praticamente meu último jogo importante no clube. Não esperava um desfecho tão legal em um dia como hoje. Todos estão de parabéns, Deus nos reservou mais essa. No dia 3, não serei mais o presidente do Atlético. Deixo o clube com uma Copa do Brasil e uma vaga na Libertadores no meu último jogo. Tenho certeza que terei lugar, mesmo que pequeno, no coração do torcedor. Era isso que eu queria. Para a torcida, meus parabéns e que comemore em paz, vamos soltar foguetes, mas vamos voltar para casa. Toda mãe quer receber seu filho em casa. Estou muito emocionado, não vou gozar cruzeirense porque sei como é essa dor. Quero só dar os parabéns para a torcida e que sigam para a casa em paz - falou o presidente, minutos após o título do Galo, em entrevista para a Rádio Itatiaia.

Kalil ainda relembrou os momentos na véspera da partida. Como de costume, o presidente visitou os jogadores do CT e participou de parte da preparação com o grupo de Levir.

- Na hora que eu fui no jantar, no almoço, vi que eles não iam escapar, vi o clima dentro do CT e vi que hoje não dava para escapar - acrescentou, dando uma leve alfinetada no rival.

Questionado sobre o trabalho do pai Elias Kalil, ex-presidente do Galo, Kalil encerrou destacando o trabalho do pai ao colocar o clube como um dos maiores do país.

- Quem coloca o time grande (Elias Kalil) é o mais importante da história do clube, quem recoloca (Alexandre) é o segundo mais importante - definiu.