icons.title signature.placeholder Tamara Guimarães
11/04/2014
11:47

Ex-jogador e atual gestor administrativo do Ituano, Juninho Paulista lembra com carinho dos seus momentos com a Seleção Brasileira. Ele participou das Olimpíadas de Atlanta, em 1996, da Copa América em 95 e 2001, da Copa das Conferações, em 97, e estava na equipe comandada por Felipão na conquista do Penta, em 2002.

Perguntado sobre o momento mais marcante, Juninho lembrou de sua primeira convocação e de episódios em competições oficiais. Um deles foi a dramática derrota do Brasil para o Uruguai, na Copa América de 1995.

-  Foi demais ser convocado. Eu acompanhei em 1994 e alguns jogadores já faziam parte do meu convívio. Na primeira convocação depois da Copa eu estava. Isso me marcou bastante. Era a época do Zagallo. Ele tinha um sistema de jogo que queria colocar um meia atacante e ele me considerava esse jogador, então, meu começo pela Seleção Brasileira foi marcante - lembrou.

- Uma das derrotas mais marcantes foi na Copa América, de 95. Fizemos uma Copa brilhante, com ótimos jogos, principalmente contra a Argentina, e chegou na final e tomamos um gol de falta. Um jogador do Uruguai teve a felicidade de colocar a bola com a mão dentro do gol e perdemos - completou.

Para Juninho, a Copa das Confederações de 1997 foi um momento muito legal dentro de campo, mas horrível fora. Foi a primeira vez que ele e alguns jogadores da Seleção ficaram carecas. 

- Lembro muito do Bebeto e do Leonardo, eles quase choraram. O Leonardo tinha um carinho por aquele cabelo. Era uma equipe bastante unida, tínhamos jogadores fantásticos jogando juntos e eu alí no meio, novinho. São momentos que lembro até hoje - ressaltou.

Juninho Paulista comenta como conseguiu reerguer o Ituano