icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
09/04/2014
14:31

Parada Cardíaca. Este foi o trocadilho feito pelo diário 'Olé', principal jornal esportivo da Argentina, para definir a grande expectativa da torcida do San Lorenzo para o jogo desta quarta-feira, no Nuevo Gosómetro, em Buenos Aires, contra o Botafogo. O jogo é válido pela última rodada do Grupo 2 da Copa Libertadores, e o confronto define o futuro dos dois clubes na competição. 

O trocadilho faz referência à greve geral convocada pela classe trabalhadora do país, insatisfeita com as condições de vida e com o Governo. Eles mencionam que nem mesmo a paralisação, prevista para ter início para meia-noite de quinta-feira, foi capaz de desanimar os torcedores. 

A procura por ingressos é grande desde a semana passada, quando os bilhetes foram colocados à venda. A expectativa é de cerca de 45 mil pessoas no bairro Baixo Flores para acompanhar o jogo, capacidade máxima do Gasómetro. 

No rival do Botafogo, o técnico Edgardo Bauza tenta frear a ansiedade dos jogadores. Segundo ele, o time tem que ter tranquilidade e não se envolver demais com a expectativa e ansiedade vinda das arquibancadas. 

- Temos que tentar abstrair a ansiedade que têm os torcedores e fazer um jogo com inteligência. Com isso, as chances de classificação aumentarão muito - afirmou o treinador. 

Para o meia Ignácio Piatti, essa força da torcida será o diferencial desde o início da partida. Se o Botafogo encara a partida como decisão de campeonato, os argentinos não tratam de forma diferente:

- A força da dos torcedores vai nos fazer ganhar desde o primeiro minuto da partida. Temos que jogar para vencer, será uma final.

Romagnoli, Fontanini, Cetto e Blandi são os desfalques da equipe argentina para a partida desta quarta-feira.