icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
19/08/2015
14:36

O presidente da Comissão de Arbitragem do Rio de Janeiro, Jorge Rabello, ironizou o protesto que o Flamengo enviou à CBF sobre a escalação dos auxiliares Rodrigo Henrique Corrêa e Dilbert Pedrosa Moisés, ambos da Ferj, para a partida contra o Vasco, nesta quarta-feira, no Maracanã, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Em entrevista à Rádio Brasil nesta quarta-feira, o ex-árbitro sugeriu que a mudança no apito seja solicitada a outras entidades:

- Como os árbitros do Rio de Janeiro não servem e os do Brasil também não servem, sugiro então ao presidente da Comissão Nacional (de Arbitragem) que tente a Commebol e em seguida a Fifa. Afinal, tem de ver se, efetivamente, consegue alguém que agrade ao dirigente do Flamengo.

Rabello ainda viu a atitude do Flamengo como "previsível". A conduta seria apenas por receio de um revés no confronto:

- Isso não tem nada de novo. É o famoso "seguro antecipado".  Se der um problema, vão dizer "ah, eu não disse?". E, se não der problema, ninguém fala depois do jogo e a vida segue. Não tem nada de novo nisso. 

O duelo será apitado por um árbitro de fora do Rio de Janeiro - Ricardo Marques Ribeiro, da Fifa/MG.

O presidente da Comissão de Arbitragem do Rio de Janeiro, Jorge Rabello, ironizou o protesto que o Flamengo enviou à CBF sobre a escalação dos auxiliares Rodrigo Henrique Corrêa e Dilbert Pedrosa Moisés, ambos da Ferj, para a partida contra o Vasco, nesta quarta-feira, no Maracanã, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Em entrevista à Rádio Brasil nesta quarta-feira, o ex-árbitro sugeriu que a mudança no apito seja solicitada a outras entidades:

- Como os árbitros do Rio de Janeiro não servem e os do Brasil também não servem, sugiro então ao presidente da Comissão Nacional (de Arbitragem) que tente a Commebol e em seguida a Fifa. Afinal, tem de ver se, efetivamente, consegue alguém que agrade ao dirigente do Flamengo.

Rabello ainda viu a atitude do Flamengo como "previsível". A conduta seria apenas por receio de um revés no confronto:

- Isso não tem nada de novo. É o famoso "seguro antecipado".  Se der um problema, vão dizer "ah, eu não disse?". E, se não der problema, ninguém fala depois do jogo e a vida segue. Não tem nada de novo nisso. 

O duelo será apitado por um árbitro de fora do Rio de Janeiro - Ricardo Marques Ribeiro, da Fifa/MG.